A educação alimentar e nutricional essencial no curriculo escolar

Autores

Palavras-chave:

Educação alimentar e nutricional, Qualidade de vida, Currículo escolar.

Resumo

Este artigo aborda questões atuais de saúde com relação aos aspectos alimentar e nutricional de crianças e adolescentes em idade escolar, durante os quais o estilo de vida e o físico têm maior probabilidade de mudar o pensamento conceitual. O objetivo é analisar e compreender o processo de estudo do estado nutricional, hábitos alimentares e estilo de vida de estudantes da educação básica, com delineamento descritivo e transversal que vincula a educação alimentar e nutricional nos currículos escolares. Para ampliar as compreensões sobre os hábitos alimentares de alunos, realizamos também um estudo do padrão alimentar de estudantes de educação básica de dois países, a França e o Brasil. 

Biografia do Autor

Solange Aparecida de Souza Monteiro, Instituto Federal de São Paulo – Campus São Carlos

Mestra em Processos de Ensino, Gestão e Inovação pela Universidade de Araraquara - UNIARA (2018). Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá (1989). Possui Especialização em Metodologia do Ensino pela Faculdade de Educação, Ciências e Letras Urubupungá (1992). Trabalha como pedagoga do Instituto Federal de São Paulo (IFSP/Câmpus Araraquara-SP). Participa dos núcleos: - Núcleo de Gêneros e Sexualidade do IFSP (NUGS); -Núcleo de Apoio as Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas (NAPNE), Membro da Equipe de Formação Continuada de Professores. Desenvolve sua pesquisa acadêmica na área de Educação, História da Educação Sexual, Sexualidade e em História e Cultura Africana, Afro-brasileira e Indígena e/ou Relações Étnico-raciais. Participa do Grupo de pesquisa - GESTELD - Grupo de Estudos em Educação, Sexualidade, Tecnologias, Linguagens e Discursos. Membro desde 2018 do Grupo de pesquisa "Núcleo de Estudos da Sexualidade - NUSEX" - https://www.fclar.unesp.br/#!/pesquisa/grupos-de-pesquisa/estudos-da-sexualidade/apresentacao/.

Paulo Rennes Marçal Ribeiro, Faculdade de Ciências e Letras - Unesp, Campus de Araraquara, Departamento de Psicologia e Educação.

Possui graduação em Psicologia (1985) pelo Instituto de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUCCAMP; graduação em Pedagogia (1983) e mestrado em Educação (1989) pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP; especialização em Psiquiatria e Psicologia Clínica da Infância (1988) e doutorado em Saúde Mental (1995) pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP; e pós-doutorado em Saúde Mental (1996-1997) pelo Instituto de Psiquiatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. É Livre-Docente em Sexologia e Educação Sexual pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (2007). Foi vice-diretor da Faculdade de Ciências e Letras da UNESP, em Araraquara, de 1º de fevereiro de 2005 a 31 de janeiro de 2009, onde atualmente é Professor Associado (MS-5) no Departamento de Psicologia da Educação. É especialista do Conselho Estadual de Educação - SP e atua nas áreas de Educação e Psicologia, com ênfase na pesquisa em Sexualidade Humana, principalmente com os seguintes temas: educação sexual, história da sexualidade e da educação sexual, adolescência, sexualidade e sociedade. É professor e orientador de mestrado e doutorado nos seguintes Programas de Pós-Graduação da UNESP, em Araraquara: Educação Sexual, do qual é o coordenador do Programa; e Educação Escolar, onde coordena a Linha de Pesquisa Sexualidade, cultura e educação sexual. Foi um dos fundadores e vice-coordenador do GT-23 Gênero, sexualidade e educação, da ANPED

Referências

BOFF, E. T. O. Processo Interativo: uma possibilidade de produção de um currículo integrado e constituição de um docente pesquisador – autor e ator – de seu fazer cotidiano escolar. Tese (Doutorado), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Ciências Básicas da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Porto Alegre, RS, 2011.

BOOG, M. C. F. Educação Nutricional: Passado, presente, futuro. Rev. Nutr. Puccamp, Campinas, 10(01): 5-19, jan./jun., 1997.

BOOG, Maria Cristina Faber. Histórico da Educação Alimentar e Nutricional no Brasil. In: Mudanças alimentares e educação nutricional. Coordenação Rosa Wanda Diez-Garcia, Ana Maria Cervato-Mancuso; editor da Série Helio Vannucchi. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

BOURDIEU, P. La Distinción. Criterio y bases sociales del gusto. 1ª edición. México: Taurus, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Modulo 10: Alimentação e nutrição no Brasil l. / Maria de Lourdes Carlos Rodrigues... [et al.]. – Brasília: Universidade de Brasília, 2007.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de Orçamento Familiar – POF. Antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil, 2008 - 2009. Rio de Janeiro, 2010.

BRASIL. Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Estado da Educação Coordenadoria de Gestão da Educação Básica Departamento de Desenvolvimento Curricular e de Gestão da Educação Básica. Planejamento Escolar 2012. Temas Transversais. 2012

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional da Educação. Câmara Nacional de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília, 2013.

LIMA, E. S. Mal de fome e não de raça: gênese, constituição e ação política da educação alimentar, 1934-1946. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2003.

LIMA E. S., OLIVEIRA C. S., GOMES M. C. R. Educação nutricional: da ignorância alimentar à representação social na pós-graduação do Rio de Janeiro, 2003.

VALENTE F. Em busca de uma educação nutricional crítica. In: Valente F. Fome e desnutrição: determinantes sociais. São Paulo: Cortez; 1986.

Downloads

Publicado

2018-11-10

Edição

Seção

Artigos