Produtos derivados de pitanga (eugenia uniflora l.) em Florianópolis (SC): análise comercial associada à aceitabilidade do suco tropical da fruta

Autores

  • Daniele Feller Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Florianópolis - SC
  • Liz Cristina Camargo Ribas Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Florianópolis - SC
  • Fabiana Mortimer Amaral Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Florianópolis - SC

DOI:

https://doi.org/10.53928/aba.v4i2.3238

Palavras-chave:

Biodiversidade, Frutas nativas, Gastronomia, Polpa de fruta, Sorvete

Resumo

A biodiversidade apresenta papel importante na manutenção e construção de uma gastronomia identitária, estimulando cadeias produtivas locais que respeitam aspectos ecológicos da região. Considerando a biodiversidade autóctone do sul do Brasil, destaca-se a pitangueira (Eugenia uniflora L.), planta que produz frutos com grande versatilidade gastronômica, mas ainda subutilizada e pouco cultivada com propósito comercial nessa região. Dentro desse contexto, o presente trabalho objetivou analisar a presença, demanda e procedência da matéria-prima de produtos derivados de pitanga – polpa congelada, suco e sorvete – no comércio de Florianópolis (SC). Verificou-se ausência de comercialização da polpa industrializada nas principais redes de supermercados locais durante o período de avaliação, bem como a reduzida demanda do suco em casas especializadas do Centro de Florianópolis. Cerca de 28% das sorveterias avaliadas afirmaram comercializar sorvete da fruta, com demanda comprovada. Objetivando avaliar os motivos da rejeição do suco e a ausência da polpa nos mercados, realizou-se complementarmente teste de aceitabilidade do suco de pitanga elaborado a partir de sua polpa industrializada, comparando-o com o suco elaborado a partir da polpa extraída artesanalmente da fruta, bem como com o suco de polpa de acerola (padrão comparativo).  Os resultados evidenciam que a baixa demanda pelo suco de pitanga pode estar relacionada a características organolépticas da polpa industrializada empregada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele Feller, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Florianópolis - SC

Tecnóloga em Gastronomia.

Liz Cristina Camargo Ribas, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Florianópolis - SC

Professora de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico – Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão (DEPE)

Fabiana Mortimer Amaral, Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Florianópolis - SC

Professora de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico – Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão (DEPE).

Referências

AGUIAR-MENEZES, E. L. Diversidade vegetal: uma estratégia para o manejo de pragas em sistemas sustentáveis de produção agrícola. Seropédica, RJ: Embrapa Agrobiologia, 2004. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/627833/1/doc177.pdf. Acesso em: 08 out. 2017.

ASSIS, R. L. Desenvolvimento rural sustentável no Brasil: perspectivas a partir da integração de ações públicas e privadas com base na agroecologia. Economia Aplicada, v. 10, n. 1, p. 75-89, 2006.

BEZERRA, J. E. F. et al. Comportamento da pitangueira (Eugenia uniflora L.) sob irrigação na região do Vale do Rio Moxotó, Pernambuco. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 26, n. 1, p. 177-179, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbf/v26n1/a47v26n1.pdf. Acesso em: 26 nov. 2017.

BISHEIMER, M. V.; SANTOS, C.; CARLSON, V. E. A mata atlântica na Ilha de Santa Catarina. Florianópolis, SC: Lagoa Editora, 2010.

BOURSCHEID, K. et al. Eugenia uniflora: pitangueira. In: CORADIN, L. et al. (ed.). Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro – Região sul. Brasília, DF: MMA, 2011. p. 170-177.

CORADIN, L. A iniciativa plantas para o futuro. In: CORADIN, L. et al. (ed.). Espécies Nativas da Flora Brasileira de Valor Econômico Atual ou Potencial: plantas para o futuro - Região Sul. Brasília, DF: MMA, 2011. p. 25-64.

DUTCOSKY, S. D. Análise sensorial de alimentos. Curitiba: Champagnat, 2007.

FRANZÃO, A. A.; MELO, B. Cultura da pitangueira. Núcleo de Estudos em Fruticultura do Cerrado, Uberlândia, MG: Universidade Federal de Uberlândia, 2003. Disponível em: http://www.fruticultura.iciag.ufu.br/pitangueira.html. Acesso em: 12 nov. 2017.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. S. Dicionário Houaiss de Língua Portuguesa. Elaborado pelo Instituto Antônio Houaiss de Lexicografia e Banco de Dados da Língua Portuguesa S/C Ltda. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO (JBRJ). Eugenia pitanga. In: JBRJ. Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: http://reflora.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB10499. Acesso em: 27 fev. 2020.

KINUPP, V. F.; LORENZI, H. Plantas alimentícias não convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2014.

LEITE, L. L.; CORADIN, L. Introdução. In: CORADIN, L. et al. (ed.). Espécies Nativas da Flora Brasileira de Valor Econômico Atual ou Potencial: Plantas para o futuro - Região Sul. Brasília: MMA, 2011. p. 17-24.

LEWINSOHN, T. M.; PRADO, P. I. How many species there are in Brazil? Conservation Biology, v. 19, n. 3, p. 619–624, 2005.

LOPES, A. S. Pitanga e acerola: estudo de processamento, estabilidade e formulação de néctar misto. 2005. 173 f. Tese (Doutorado) – Curso de Engenharia de Alimentos, Tecnologia de Alimentos, Universidade Estadual de Campinas, Campinas. Disponível em:

http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/254402/1/Lopes_AlessandraSantos_D.pdf. Acesso em: 15 nov. 2017.

LORENZI, H.; LACERDA, M. T. C.; BACHER, L. B. Frutas no Brasil: nativas e exóticas (de consumo in natura). São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2015.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO (MAPA/BRASIL). Instrução Normativa MAPA Nº 01, de 7 de janeiro de 2000: regulamenta os padrões de identidade e qualidade para polpa de fruta no Brasil. Brasília (DF): Ministério do Estado da Agricultura e do Abastecimento (MAPA), 2000. Disponível em: http://www2.agricultura.rs.gov.br/uploads/126989581629.03_enol_in_1_00_mapa.doc. Acesso em: nov. 2017.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO (MAPA/BRASIL). Instrução Normativa MAPA Nº 12, de 4 de setembro de 2003: regulamenta os padrões de identidade e qualidade para suco tropical no Brasil. Brasília (DF): Ministério do Estado da Agricultura e do Abastecimento (MAPA), 2003. Disponível em: http://www.idec.org.br/pdf/instrucao-normativa-12.pdf. Acesso em: nov. 2017.

MITTERMEIER, R. A.; GIL, P. R.; MITTERMEIER, C. G. Megadiversidad: los países biológicamente más ricos del mundo. 1 ed., México: Cementos Mexicanos, 1997.

REID, W. V. et al. Relatório síntese da avaliação ecossistêmica do milênio. Millennium Ecosystem Assessment. 2005. Disponível em: https://www.millenniumassessment.org/documents/document.446.aspx.pdf. Acesso em: 18 set. 2017.

SLOW FOOD. A Arca do Gosto no Brasil: alimentos, conhecimentos e histórias do patrimônio gastronômico. São Paulo: VOX Gráfica, 2017.

SLOW FOOD BRASIL. Produtos do Brasil na arca do gosto: pitanga. Slow Food Brasil, 2016. Disponível em: http://slowfoodbrasil.com/arca-do-gosto/produtos-do-brasil/1133-pitanga. Acesso em: 08 out. 2017.

SOBRAL, M.; et al. Flora arbórea e arborescente do Rio Grande do Sul, Brasil. Sao Carlos: RiMa: Novo Ambiente, 2006.

SOBRAL, M. et al. Myrtaceae. In: Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. 2015. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB10560. Acesso em: 21 fev. 2020.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS). Projeto flora digital do Rio Grande do Sul e Santa Catarina: Eugenia uniflora. Disponível em: http://www.ufrgs.br/fitoecologia/florars/index.php?pag=buscar_mini.php. Acesso em: 21 fev. 2020.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Como Citar

Feller, D., Camargo Ribas, L. C., & Amaral, F. M. (2021). Produtos derivados de pitanga (eugenia uniflora l.) em Florianópolis (SC): análise comercial associada à aceitabilidade do suco tropical da fruta. Arquivos Brasileiros De Alimentação, 4(2), 358–383. https://doi.org/10.53928/aba.v4i2.3238

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)