Resistência cultural e gastronomia: revisão de literatura

Autores

  • Mikel Maller Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro - RJ
  • Victor Ragazzi Isaac Centro Universitário Senac (SENAC), Campos do Jordão - SP
  • Raphaela Coutinho

DOI:

https://doi.org/10.53928/aba.v4i2.4550

Palavras-chave:

Gastronomia, Resistência cultural, Revisão de literatura

Resumo

A alimentação humana não se compreende apenas a partir de indicadores nutricionais e biológicos, mas “o comportamento relativo à comida revela a cultura em que cada um está inserido”. Neste sentido, a culinária seria a última a se desnacionalizar, demonstrando ser um claro ato de resistência cultural, pois “comida e identidade criam e mantêm uma articulação permanente”. O atual estudo objetiva, a partir da revisão de literatura, evidenciar a evolução teórico científica em Resistência Cultural sob a ótica da Gastronomia. Os descritores utilizados na pesquisa foram: Resistência Cultural, Gastronomia, Gastronomia e Cultura. A pesquisa foi realizada no decorrer dos meses de maio, junho e julho de 2017. Foram analisados artigos publicados entre 2000 e 2015 que fossem indexados no Qualis, de acordo com a classificação da CAPES. Ao total, foram selecionados 16 artigos científicos, que seguiram um roteiro de análise constituído de preceitos metodológicos. Os resultados evidenciam que todos os artigos analisados adotaram a metodologia qualitativa. Por fim, após a leitura de cada um dos artigos, foi realizado uma sistematização dos resultados de forma categórica, com o objetivo de se esquadrinhar os achados de cada um dos artigos. O estudo apresentou que houve evolução e notoriedade nos últimos anos na temática pesquisada. Entretanto, ressalva-se que devido ao curto espaço temporal da pesquisa não se pode trabalhar com um número maior de periódicos, o que pode ter influenciado nos resultados. Como sugestão para estudos futuros recomenda-se que seja aumentada a quantidade de periódicos analisados, por meio da inserção de revistas internacionais realizando um comparativo entre as pesquisas realizadas no âmbito brasileiro e internacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mikel Maller, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro - RJ

Instituto Nutes de Educação em Ciências e Saúde.

Victor Ragazzi Isaac, Centro Universitário Senac (SENAC), Campos do Jordão - SP

Professor Dr. do Curso de Graduação em Tecnologia de Tecnologia em Gastronomia.

Referências

BARROCO, Lize Maria Soares, BARROCO, Helio Estrela. A Importância da Gastronomia como Patrimônio Cultural, no Turismo Baiano. TURyDES, Vol 1, Nº 2, Santa Cruz, março, 2008.

BATISTA, Jefferson Alves. Reflexões sobre o conceito antropológico de cultura. Revista saber eletrônico. Ano 1 Vol. 1 (nov./jun. 2010), 2010.

BRILLAT-SAVARIN, Jean Anthelme. A fisiologia do gosto. França. 1825.

CANESQUI, Ana Maria. Mudanças e permanências da prática alimentar cotidiana de famílias de trabalhadores. Antropologia e nutrição: um diálogo possível, p. 167-210, 2005.

COLLAÇO, Janine Helfst Leicht. Gastronomia: A Trajetória de uma Construção Recente. Revista Habitus, v. 11, n. 02, Goiânia, jul./dez, 2013.

GIMENES, M. H. S. G. Patrimônio Gastronômico, Patrimônio Turístico: uma reflexão introdutória sobre a valorização das comidas tradicionais pelo IPHAN e a atividade turística no Brasil. Seminário de pesquisa em turismo no Mercosul, v. 4, p. 1-15, 2006.

LIMA, Justino Alves. Diversidade Cultural: O Caso Brasileiro. Ponta de Lança: Revista Eletrônica de História, Memória & Cultura, Sergipe, v.4, n.7, p.68-82, 2010.

LIMA, Maycke Young. Coautoria na produção científica do PPGGeo/UFRGS: uma análise de redes sociais. Ciência da informação. Brasília. Vol. 40, n. 1 (jan./abr. 2011), p. 38-51, 2011.

MINASSE, Maria Henriqueta Sperandio Garcia Gimenes. Comida como Cultura? Notas Sobre a Patrimonialização Alimentar e sua Relação com o Turismo Gastronômico. Revista Gestión Turística, N° 19, jan/jun, Sorocaba, 2013.

MINAYO, Maria Cecilia de S.; SANCHES, Odécio. Quantitative and qualitative methods: opposition or complementarity?. Cadernos de saúde pública, v. 9, n. 3, p. 237-248, 1993.

MÜLLER, Silvana Graudenz; FIALHO, Francisco Antonio Pereira. A Preservação Dos Saberes, Sabores E Fazeres Da Gastronomia Tradicional No Brasil. Revista Travessias, Paraná, v.5, n.1, p. 176-189, 2011.

PECCINI, Rosana. A Gastronomia e o Turismo. Revista Rosa dos Ventos, vol. 5, n. 2, p. 206-217, Caxias do Sul, abr/jun, 2013.

PROENÇA, R. P. D. C. (2010). Alimentação e globalização: algumas reflexões. Ciência e Cultura, 62(4), 43-47.

ROSA, Eliane Kreutz; DAMKE, Ciro. Cultura e Gastronomia como Fator de Pertencimento Identitário. Ideação, Revista do Centro de Educação e Letras da Unioeste, Campus de Foz do Iguaçu, v.14, nº1, p.175-193, 2012.

SANTOS, Adalberto S. Resistências culturais como estratégias de defesa da identidade. In: IV ENECULT, 2008, Salvador. IV ENECULT, 2008.

SANTOS, C. R. A. dos. A alimentação e seu lugar na História: Os tempos da memória gustativa. História: Questões & Debates, Editora UFPR, Curitiba, n. 42, p. 11-31, 2005.

SANTOS, C. R. A. dos. A comida como lugar de história: as dimensões do gosto. História: Questões & Debates, Editora UFPR, Curitiba, n. 54, p. 103-124, jan./jun. 2011.

SAMPAIO, RF; MANCINI, MC. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Rev. bras. fisioter., São Carlos , v. 11, n. 1, p. 83-89, Feb. 2007.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Como Citar

Maller, M., Isaac, V. R., & Coutinho, R. . (2021). Resistência cultural e gastronomia: revisão de literatura. Arquivos Brasileiros De Alimentação, 4(2), 384–397. https://doi.org/10.53928/aba.v4i2.4550

Edição

Seção

Artigos