Os desafios da revitalização de aldeias de montanha e da gestão sustentável de agroecossistemas multifuncionais na Montanha do Alto Minho (Portugal)

Autores

Resumo

O desafio para os territórios de montanha do noroeste de Portugal é a revitalização das suas comunidades locais, cujo papel se considera determinante na produção de serviços ambientais para a sociedade. A economia camponesa, outrora dominante, foi-se transformando, em virtude das dinâmicas socio-económicas e das políticas públicas desenhadas para estas regiões. A agropecuária manteve-se como principal utilizadora do espaço, mas já não em exclusiva dependência dos recursos naturais locais, nem ocupando a totalidade das famílias. A expansão do turismo tem gerado novas oportunidades económicas e reforçado a importância da paisagem agro-pastoril. Neste quadro, estudamos a adaptação das comunidades às novas dinâmicas, para identificar modelos de intervenção que potenciem a transição para uma economia multifuncional sustentável. Seguindo-se uma metodologia participativa, reconheceu-se o papel chave das pessoas e das organizações locais na concretização destes objetivos, clarificando as perspetivas dos vários atores e os desafios dessa transição. Conclui-se pela importância de apostar em mecanismos participados de debate e decisão, apoiados em dados de monitorização à escala local, para uma gestão adaptativa capaz de gerir as tensões criadas pelas mudanças em curso, assegurando a desejável conciliação entre os objetivos sociais, económicos e ecológicos, em busca de novos equilíbrios entre pessoas e natureza.

Biografia do Autor

Joana Lopes Teixeira Nogueira, Escola Superior Agrária - Instituto Politécnico de Viana do Castelo

Área de Ciências Económicas e Empresariais

Sara Cristina Militão Simões, Escola Superior Agrária - Instituto Politécnico de Viana do Castelo

Área Ciências da Vida e da Terra

Referências

Agnoletti, M. (2014). Rural landscape, nature conservation and culture: Some notes on research trends and management approaches from a (southern) European perspective, Landscape and Urban Planning, 126 (2014) 66–73. doi.org/10.1016/j.landurbplan.2014.02.012

Bandeira, M. (1996). Demografia e Modernidade – Família e Tradição Demográfica em Portugal, Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda.

Bellon, M., Gotor, E., Caracciolo, F. (2015). Conserving landraces and improving livelihoods: how to assess the success of on-farm conservation projects?, International Journal of Agricultural Sustainability, 13(2) 167-182.

Chapin, F. S., Carpenter, S., Kofinas, G. et al. (2010). Ecosystem Stewardship: Sustainability Strategies for a Rapidly Changing Planet. Trends in Ecology & Evolution. 25 (4) 241-249.

Correia, J. A., Figueiredo, E. (2011). A voz às comunidades rurais: animação e comunicação para o desenvolvimento. In Figueiredo, E. et al,. (coord.), O rural plural – olhar o presente, imaginar o futuro: 441-454. Castro Verde: 100LUZ.

Dodson, S., et al. (1998). Ecology, Oxford: Oxford University Press.

FAO (2017). The future of food and agriculture – Trends and challenges. Rome: FAO. http://www.fao.org/3/a-i6583e.pdf

Figueiredo, E. 2011, Um rural cheio de futuros? In Figueiredo, E. et al. (coord.), O rural plural – olhar o presente, imaginar o futuro: 13-24. Castro Verde: 100LUZ.

Honrado, J., et al (2017). Conservation Management of EU Priority Habitats after Collapse of Traditional Pastoralism: Navigating Socioecological Transitions in Mountain Rangeland, Rural Sociology 82(1) 101–128. https://doi.org/10.1111/ruso.12111

Langston, N. (1998). People and Nature. In Dodson, S., et al, Ecology: 25-76. Oxford: Oxford University Press.

Lima Santos, J. (2017). Agricultura e biodiversidade: uma diversidade de temas, Cadernos de Análise e Prospetiva – Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração (GPP) (8) 13-19.

Madureira, L., et al. (2013). Economia dos Serviços de Ecossistema – Um guia para conhecer e valorizar serviços de agroecossistemas em áreas protegidas de montanha, Lisboa: Quercus.

Moreira, F., Lomba, A. (2017). A importância da agricultura na preservação da biodiversidade, Cadernos de Análise e Prospetiva, Gabinete de Planeamento, Políticas e Administração (GPP), (8) 39-45.

NORDREGIO (2004). Mountain Areas in Europe: Analysis of mountain areas in EU member states, acceding and other European countries, NORDREGIO Report to the Directorate–General for Regional Development, European Commission.

Oliveira Baptista, F. (1996). Declínio de um tempo longo. In Brito, J.P. et al. (ed.), O voo do Arado. Lisboa: Museu Nacional de Etnologia.

Oliveira Baptista, F. (2018). Rural e floresta, caminhos por definir. In Simões, O., (ed.), O Rural depois do Fogo: 45-60. Coimbra: ESAC-IPC.

O’Rourke, E., Charbonneau, M., Poinsot, Y. (2016). High nature value mountain farming systems in Europe: Case studies from the Atlantic Pyrenees, France and the Kerry Uplands, Ireland, Journal of Rural Studies, (46) 47-59. https://doi.org/10.1016/j.jrurstud.2016.05.010

Pereira, E., Queiroz, C. (2010). Sistelo: um estudo participativo numa freguesia de montanha, in Pereira, E. et al, (edts.) Ecossistemas e Bem-Estar Humano – Avaliação para Portugal do Millenium Ecosystem Assesment: 585-635. Lisboa: Escolar Editora.

Pereiro, X. (2018). Abordagem exploratória do turismo rural de Trás-os-Montes e Alto Douro (Portugal), Análise Social, 226: 58-87.

Koshy, V. (2005) Action Research for Improving Practice, a Pratical Guide. Londres: Paul Chapman Publishing/SAGE.

Ribeiro, O. (1945). Portugal, o Mediterrâneo e o Atlântico – Estudo Geográfico. Coimbra: Coimbra Editora.

Roque Amaro, R. (1985). Reestruturações demográficas, económicas e socioculturais em curso na sociedade portuguesa: o caso dos emigrantes regressados, Análise Social, XXI (87-88-89): 605-677.

Downloads

Publicado

2021-01-12

Como Citar

Nogueira, J. L. T., & Simões, S. C. M. (2021). Os desafios da revitalização de aldeias de montanha e da gestão sustentável de agroecossistemas multifuncionais na Montanha do Alto Minho (Portugal). Brazilian Journal of Agroecology and Sustainability, 2(2). Recuperado de http://journals.ufrpe.br/index.php/BJAS/article/view/3805

Edição

Seção

Artigos