Bioma Caatinga sob a perspectiva de estudantes residentes em áreas rurais

Marleide Gomes da Silva, Alexsandro Bezerra Correia Bilar, Rejane Magalhães de Mendonça Pimentel

Resumo


A Caatinga possui rica biodiversidade e grande relevância para a qualidade ambiental e o equilíbrio ecológico do Brasil, porém vem sofrendo considerável degradação através de ações antrópicas; a educação ambiental é um importante instrumento de preservação desse bioma. Foi realizada uma pesquisa exploratório-descritiva com estudantes do ensino médio residentes em áreas rurais visando: i- identificar as principais atividades realizadas por eles mesmos ou por seus familiares, na região onde vivem, que são consideradas prejudiciais à vegetação de Caatinga; e ii- averiguar de que forma esses discentes avaliam a sua relação de coexistência com esse bioma. A análise qualitativa dos dados demonstrou que os alunos entendem sua relação com a Caatinga como pouco harmoniosa, inclusive reconheceram que queimadas e desmatamentos foram praticados por eles ou seus parentes. Além disso, constatou-se a deficiência de práticas de ensino-aprendizagem de educação ambiental na escola estudada, dificultando a conscientização ambiental de seus frequentadores.

Palavras-Chave: Conservação da biodiversidade, educação ambiental, sustentabilidade.

Palavras-chave


Conservação da biodiversidade, educação ambiental, sustentabilidade.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


APPOLINÁRIO, F. 2006. Metodologia da Ciência: Filosofia e Prática da Pesquisa. São Paulo: Thompson.

ARRUDA, S. 2013. Ecossistema, Percepção e Educação Ambiental. In: PERNAMBUCO. Secretaria de Educação. Caderno de orientação pedagógica para educação ambiental: rede estadual de ensino de Pernambuco. Recife: Secretaria Estadual de Educação.

BARROS, M. L. T. 2009. Educação Ambiental no cotidiano da sala de aula: um percurso pelos anos iniciais. Rio de Janeiro: Mr Bens Editora.

BOFF, L. 2013. Sustentabilidade: o que é: o que não é. 2. ed. Petrópolis: Vozes.

BRANCO, S. M. 1994. Caatinga: a paisagem e o homem sertanejo. São Paulo: Moderna.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. 2014. Caatinga. Disponível em: http://www.mma.gov.br/biomas/caatinga. Acesso em: 28 jul. 2014.

______. 1999. Lei n° 9,795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9795.htm. Acesso em: 28 jul. 2014.

COSTA, L. 2013. Sujeitos sociais, identidades, territórios e a questão ambiental. In: PERNAMBUCO. Secretaria de Educação. Caderno de orientação pedagógica para educação ambiental: rede estadual de ensino de Pernambuco. Recife: Secretaria Estadual de Educação.

CRUZ, J. S. 2008. Educação Ambiental. Recife: UPE/NEAD.

DECLARAÇÃO DA CAATINGA. 2012. A Caatinga na Rio +20. Disponível em: http://www.meioambiente.mg.gov.br/images/stories/newsletter/cartadacaatinga-rio20.pdf. Acesso em: 14 jun. 2014.

FREIRE, P. 1996. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

GIL, A. C. 2009. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Cidades. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=260570&search=pernambuco|floresta. Acesso em: 12 out. 2014.

______. 2014. Mapas de Biomas e de Vegetação do Brasil. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/21052004biomashtml.shtm. Acesso em: 14 jun. 2014.

LEAL. I. R.; TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C. 2003. Ecologia e conservação da caatinga. Recife: Ed. Universitária da UFPE.

LEITÃO, S. N.; EL-DEIR, S. 2010. Educação Ambiental: teoria e prática. Recife: Instituto Brasileiro Pró-Cidadania.

MELANI, M. R. A.; SILVA, V.R.; VASCONCELLOS, M. D. P.; AGOSTINI, J.C.; GRANJEIRO, C. D.; JOLY, F. D. 2006. Projeto Araribá: história. São Paulo: Moderna.

MORIN, E. 2000. Os sete saberes necessários a educação do futuro. 2 ed. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO. Disponível em: http://www.juliotorres.ws/textos/textosdiversos/SeteSaberes-EdgarMorin.pdf. Acesso em: 20 set. 2014.

NASCIMENTO, A. N.; BILAR, A. B. C.; MOURA, F. F. S.; RIBEIRO, E. P. 2016. Management analysis of municipal solid waste a municipality Semi-Arid Pernambucano. Revista Geama, v. 6, n. 1, p. 34-42. Disponível em: http://www.journals.ufrpe.br/index.php/geama/article/view/846. Acesso em: 15 mar. 2016.

PAREYN, F. G. C. 2010. Os Recursos Florestais Nativos e sua Gestão no Estado de Pernambuco – o papel do manejo florestal sustentável. In: GARIGLIO et al. [Orgs] Uso sustentável e conservação dos recursos florestais da caatinga. Brasília: Serviço Florestal Brasileiro. Disponível em:http://www.mma.gov.br/estruturas/sfb/_arquivos/web_uso_sustentvel_e_conservao_dos_recursos_florestais_da_caatinga_95.pdf. Acesso em: 12 ago. 2014.

PRADO, D. E. 2003. As Caatingas da América do Sul. In: LEAL, I. R.; TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C. Ecologia e Conservação da Caatinga. Recife: Ed. Universitária da UFPE.

SAMPAIO, E. V. S. B. 2010. Características e Potencialidades. In: GARIGLIO et al. [Orgs]. Uso sustentável e conservação dos recursos florestais da Caatinga. Brasília: Serviço Florestal Brasileiro. Disponível em: http://www.mma.gov.br/estruturas/sfb/_arquivos/web_uso_sustentvel_e_conservao_dos_recursos_florestais_da_caatinga_95.pdf. Acesso em: 12 ago. 2014.

SIQUEIRA FILHO, J. A. 2012. A flora das caatingas do Rio São Francisco: história natural e conservação. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson.

VERGARA, S. C. 2006. Método de pesquisa em Administração. 2 ed. São Paulo: Atlas.




DOI: http://dx.doi.org/10.24221/jeap.2.2.2017.1189.160-166

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Journal of Environmental Analysis and Progress

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.