Integrando geotecnologias simples e gratuitas para avaliar usos/coberturas da terra: QGIS e Google Earth Pro

Luís Flávio Pereira, Ricardo Morato Fiúza Guimarães, Raphael Rivadávia Mendes Oliveira

Resumo


Devido à importância e dificuldade na avaliação do uso/cobertura da terra, a utilização de geotecnologias gratuitas tem aumentado. Avaliou-se detalhadamente o uso/cobertura da terra (UCT) na bacia do córrego Dornelas (BD) (MG, Brasil) a partir da integração dos softwares QGIS e Google Earth Pro (GEP) e discutiu-se potencialidades e limitações dessas geotecnologias, a partir de dados de campo e imagens/modelos tridimensionais do GEP. Os resultados mostraram que: (1) QGIS e GEP são complementares e sua integração é simples e eficaz na avaliação do UCT, pois o mapeamento, via interpretação dos dados do GEP no QGIS, apresentou alta acurácia na validação de campo (Kappa = 0,922); (2). O método é utilizado especialmente ao mapeamento multicategórico de pequenas áreas em escala ultradetalhada, mas os softwares apresentados também possuem ampla aplicação em estudos de áreas extensas; (3) interações pedogeomorfológicas regulam o uso e estado de ocupação da terra na BD: agricultura e moradia são praticadas em pequenas áreas de baixa altimetria e declividade, enquanto matas e pastagens apresentam distribuição generalizada. Pastagens estão mais degradadas em regiões elevadas e declivosas. Há uma recente reintensificação da agricultura na região, mas a interpretação desse processo necessita de estudos específicos, sob uma ótica geohistórica e geopolítica.


Palavras-chave


Degradação da terra; relação solo-paisagem; Zona da Mata – MG.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


BRUNO, L. O. 2017. GRASS: A free and open source solution for hydrographic body analysis. Nativa, v. 5, n. 1, p. 24-30.

CARDOSO, J.; AQUINO, C. 2014. Mapeamento atual do uso e cobertura das terras da sub-bacia do riacho do Roncador em Timon (MA) utilizando imagens do Google Earth. OKARA: Geografia em debate, v. 8, n. 2, p. 328-343.

CARNEIRO, P. A. S. 2008. Conquista e povoamento de uma fronteira: a formação regional da Zona da Mata no Leste da Capitania de Minas Gerais, 1694-1835. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil. 278p.

COSTA, P. H.; NUCCI, J. C.; VALASKI, S. A cobertura da terra e a qualidade ambiental urbana do bairro Alto (Curitiba-PR). 2015. Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, v. 3, n. 8. p. 121-137.

FERREIRA, A.; GRIFO, A. R. 2017. Google Earth versus GPS: variação de coordenadas. Revista da UIIPS, v. 5, n. 2, p. 99-100.

FLEISS J. L. 1981. Statistical methods for rates and proportions. John Wiley, New York.

FOLEY, J. A.; DEFRIES. R.; ASNER, G.P.; BARFORD, C.; BONAN, G.; CARPENTER, S.T.; CHAPIN, F. S.; COE, M. T.; DAILY, G. C.; GIBBS, H. K.; HELKOWSKI, J. H.; HOLLOWAY, T.; HOWARD, E. A.; KUCHARIK, C. J.; MONFREDA, C.; PATZ, J. A.; PRENTICE, I. CO.; RAMAKUTTY, N.; SNYDER, P. K. 2005. Global consequences of land use. Science, v. 309, n. 5734, p. 570-574.

GHORBANI, A.; PAKRAVAN, M. 2013. Land use mapping using visual vs. digital image interpretation of TM and Google earth derived imagery in Shrivan-Darasi watershed (Northwest of Iran). European Journal of Experimental Biology, v. 3, n. 1, p. 576-582.

GOOGLE. Torne-se um especialista no mapeamento do Google: Comece a fazer seu mapa com o Google Earth e o Google Maps com estes tutoriais passo a passo. Disponível em: https://www.google.com/intl/ptBR/earth/outreach/tutorials/index.html#earth. Acesso em: Acesso em: 27 jan. 2018

GUIMARÃES, D. P.; PIMENTA, F. M.; LANDAU, E. C. 2012. Integração Google Earth-SIG-Servidor de Mapas e o Monitoramento Ambiental. Circular Técnica. Embrapa Milho e Sorgo, Sete Lagoas, n. 183, p. 1-20. Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/79549/1/circ-183.pdf.

HU, Q.; WU, W.; XIA, T.; YU, Q.; YANG, P.; LI, Z.; SONG, Q. 2013. Exploring the use of Google Earth imagery and object-based methods in land use/cover mapping. Remote Sensing, v. 5, n. 11, p. 6026-6042.

IBGE. 2013. Manual Técnico de Uso da Terra. IBGE, Terceira Edição, Rio de Janeiro.

JACOBSON, A.; DHANOTA, J.; GODFREY, J.; JACBSON, H., ROSSMAN, Z.; STANISH, A.; WALKER, H., RIGGIO, J. 2015. A novel approach to mapping land conversion using Google Earth with an application to East Africa. Environmental Modelling & Software, v. 72, p. 1-9.

JENSEN, J. R. 2009. Remote sensing of the environment: An earth resource perspective. Pearson Education India, Second Edition.

LANDIS, J. R.; KOCH, G. G. 1977. The measurement of observer agreement for categorical data. Biometrics, p. 159-174.

LEITE, M. G. P.; FUJACO, M. A. G.; BARCELOS, E. A. S.; GONÇALVES, G. H. T.; IGREJA, F. F. 2007. Environmental analysis of small rural catchments case study: Melo Creek– MG/Brazil. Management of Environmental Quality: An International Journal, v. 18, n. 6, p. 711-722.

LORERA, E. M. G.; BEZERRA, A. P. X. G.; SANTOS, I. G. S.; MEDEIROS, R. M.; NETO, F. C. R.; HOLANDA, R. M. 2018. Cálculo da evolução temporal de área degradada às margens do rio Tapacurá na Zona da Mata de Pernambuco, Brasil. Journal of Environmental Analysis and Progress, v. 3, n. 1, p. 173-180.

MATIAS, L.; SILVA, M. D. 2017. Monitoramento e análise da vegetação de manguezal no litoral sul de Alagoas. Journal of Environmental Analysis and Progress, v. 2, n. 3, p. 312-319.

MEDEIROS, A. Anderson Medeiros consultor em geotecnologias. Disponível em: http://www.andersonmedeiros.com. Acesso em: Acesso em: 27 jan. 2018

NANNI, A.; BARROS, S, D.; DESCOVI FILHO, L.; SOUZA, M. S.; PEREIRA FILHO, N. S.; GOVEIA, S. S. 2017. QGIS User Guide, Versão 2.18. 473 p. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2017.

PARENTE, L.; FERREIRA, L.; FARIA, A.; NOGUEIRA, S.; ARAÚJO, F.; TEIXEIRA, L.; HAGEN, S. 2017. Monitoring the brazilian pasturelands: A new mapping approach based on the landsat 8 spectral and temporal domains. International Journal of Applied Earth Observation and Geoinformation, v. 62, p. 135-143.

PEREIRA, L. F.; CALEGARIO, A.T.; PEREIRA, S. B. ARAÚJO, U. L.; SILVA, L. N. O.; FERNANDES FILHO, E. I. 2017. Caracterização e mapeamento da degradação e intensidade de uso da terra exercida por pastagens. Anais do IV Simpósio Mineiro de Ciência do Solo, Viçosa, MG, Brasil, GEFERT. pp. 426-428.

PEREIRA, L. F.; GUIMARÃES, R. M. F.; OLIVEIRA, R. R. M. 2018. Mapa de uso/cobertura da terra em escala ultradetalhada para a bacia do córrego Dornelas, Zona da Mata, Minas Gerais – Brasil. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/323389800_Mapa_de_usocobertura_da_terra_em_escala_ultradetalhada_para_a_bacia_do_corrego_Dornelas_Zona_da_Mata_Minas_Gerais_-_Brasil. DOI: 10.13140/RG.2.2.33406.48963

PIMENTA, E C. 2010. Fatores condicionantes da distribuição do planorbídeo Biomphalaria sp. Bacia do ribeirão do Melo, MG. Dissertação de Mestrado, Universidade de Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil. 153p

PIRES, T. B.; PEREIRA, T. H. A. A.; PIPETONE, M. A. P. 2016. O Uso do Google Earth e a apresentação de imagens tridimensionais como ferramentas complementares para a educação ambiental. Geosaberes: Revista de Estudos Geoeducacionais, v. 7, n. 13, p. 112-122, 2016.

QGIS DEVELOPMENT TEAM. Comece a usar o QGIS. Disponível em: https://www.qgis.org/pt_BR/site/forusers/index.html. Acesso em: Acesso em: 27 jan. 2018

RIBON, R.; SIMON, J. E.; MATTOS, G. T. 2003. Bird extinctions in Atlantic forest fragments of the Viçosa region, southeastern Brazil. Conservation Biology, v. 17, n. 6, p. 1827-1839.

RODRIGUES, F.; ZAINE, J. E. 2015. Geração de imagens estereoscópicas a partir de Produtos do Google Earth com Aplicações no Mapeamento Geotécnico e Geoambiental. Anais do 15º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental, Bento Gonçalves, RS, Brasil, ABGE. pp. 1-10.

SANTOS, V. V.; CARNEIRO, P. A. S.; HORTA, C. A. 2016. A Ocupação Do Sertão De Leste Nas Minas Gerais Do Século XIX: Uma Investigação Geo-Histórica. Revista Geografias, p. 151-174.

SCHAEFER, C. E. G. R. 2013. Bases físicas da paisagem brasileira: estrutura geológica, relevo e solos. Tópicos em ciência do solo. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 8, n. 1, p. 1-69.

SIEGEL S.; CASTELLAN N. 1988. Nonparametric Statisticsfor the Behavioral Sciences. McGrawHill, Second Edition, New York.

SOUSA, L. M. S.; ALBUQUERQUE, E. L. S. 2017. Google earth e ensino de cartografia: um olhar para as novas geotecnologias na Escola Santo Afonso Rodriguez, município de Teresina, estado do Piauí. Geosaberes: Revista de Estudos Geoeducacionais, v. 8, n. 15, p. 94-104.

SZTUTMAN, P. 2014. Análise da qualidade posicional das bases do Google Maps, Bing Maps e da Esri para referência espacial em projetos em SIG: aplicação para o município de São Paulo. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. 182p.

VALVERDE, O. 1958. Estudo regional da zona da mata de Minas Gerais. Revista brasileira de geografia, v. 20, n. 1, p. 1-82.




DOI: https://doi.org/10.24221/jeap.3.3.2018.1839.250-264

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista e Autor

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.