Uma análise semiótica Peirceana no contexto de um episódio de aula de química orgânica no Ensino Superior

Autores

Palavras-chave:

Semiótica Perceiana. Ensino e aprendizagem. Ensino Superior.

Resumo

No presente trabalho empreendemos uma análise semiótica em um episódio de aula de Química Orgânica no Ensino Superior com vistas a compreender as cadeias interpretativas e semioses naquele contexto de ensino e aprendizagem. O conhecimento científico está fortemente vinculado a um tipo de linguagem que se vale de uma variedade de signos os quais atuam enquanto mediadores da linguagem. A Semiótica, conhecida como a Teoria Geral dos signos, é a ciência que estuda os signos e suas semioses – processos significativos. O material de pesquisa foi obtido a partir do acompanhamento de uma disciplina de Química Orgânica I, em uma universidade pública, em 2016, por meio do registro audiovisual. A partir dos registros gravados organizou-se os dados por meio da ferramenta mapa de eventos e posteriormente em episódios de análise. Para o presente estudo delimitamos um episódio que aborda análise conformacional com ênfase nas interações 1-3 diaxiais. Para a análise semiótica delimitamos conforme o viés analítico o signo como [professora] + [ferramenta material] (PF), o objeto como uma molécula, uma estrutura de cicloexano substituído com ligantes, e o interpretante a análise conformacional. A partir do contínuo semiótico, foi possível perceber a complexidade do processo representativo e como o híbrido professora, sua fala, gestos e ferramenta material formaram um signo para aquele momento, criando condições para cadeias interpretativas, semioses do conceito em discussão. Desse modo, com essa análise situamos uma possibilidade de percorrer o contínuo semiótico abrangendo o primeiro, o segundo e o terceiro, em um episódio de sala de aula.

Biografia do Autor

Dirlene Lima Valadão, Universidade Federal de Juiz de Fora

Licenciada em Química, mestra em Educação. Doutorado em andamento no Programa de Pós-graduação em Química - UFJF. Área de concentração em Educação Química. Pesquiso sobre ensino e aprendizagem, Docência no Ensino Superior e Semiótica de Peirce no ensino de Química

Waldmir Nascimento de Araujo Neto, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Engenheiro Químico, possui Licenciatura Plena em Química pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e mestrado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). É doutor em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). Professor Adjunto do Departamento de Química Orgânica do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IQ-UFRJ), professor colaborador no Programa de Pós-Graduação em Química da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Coordenador do Laboratório de Estudos em Semiótica e Educação Química (Leseq), vinculado ao programa de Pós-Graduação em Ensino de Química Química (PEQui) do IQ-UFRJ. Atua principalmente nos temas: Semiótica e Representação, Filosofia da Química, Cinema e Educação, Cultura, Imagem e Alteridade, Qualidade Social da Educação, Processos de Ensino suportados em Tecnologias Digitais na Contemporaneidade, Teoria Histórico Cultural da Atividade. É membro da Associação Nórdica de Estudos Semióticos (NASS), da Associação Internacional de Estudos Semióticos (IASS) e da Sociedade Internacional de Filosofia da Química (ISPC).

José Guilherme da Silva Lopes, Universidade Federal de Juiz de Fora

Possui graduação em Bacharelado em Química pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1999), mestrado em Ciências pela Universidade de São Paulo (2001), graduação em Licenciatura em Química pela Universidade de São Paulo (2005) e doutorado em Química pela Universidade de São Paulo (2007). É professor associado II da Universidade Federal de Juiz de Fora. Foi Coordenador de Licenciaturas da Pró-Reitoria de Graduação - PROGRAD no período de junho de 2011 a julho de 2014. Atuou no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID/CAPES como coordenador da área de química (abril de 2010 a agosto de 2012) e Coordenador de área de gestão de processos educacionais (setembro de 2012 a abril de 2018). Foi coordenador institucional do Programa de apoio a laboratórios interdisciplinares de formação de educadores ? LIFE/CAPES e coordenador adjunto do Programa de Consolidação das Licenciaturas - Prodocência/Capes na UFJF. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Ensino de Química, atuando principalmente nos seguintes temas: Formação continuada de professores da Educação Básica e Ensino Superior, Formação de professores de Química para atuação na educação básica, Divulgação Científica e estudo do conhecimento de química de professores de ciências do ensino fundamental.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Edição

Seção

Debates em Linguagem no Ensino de Química