A natureza da Ciência nas pesquisas sobre controvérsias sociocientíficas

Autores

Palavras-chave:

Questões Sociocientíficas, Natureza da Ciência, Ensino de Ciências

Resumo

Pesquisadores e educadores da área de ensino de ciências concordam sobre a importância dos cidadãos compreenderem como se dá a construção da ciência e quais aspectos a constituem, interna e externamente, aspectos estes compreendidos no âmbito dos estudos sobre natureza da ciência. Para tanto, pesquisadores da área vêm estudando e avaliando estratégias didáticas e abordagens que podem permitir o alcance de tal compreensão. Uma destas estratégias corresponde à discussão de controvérsias sociocientíficas, as quais vêm ganhando destaque na literatura internacional. Com base em tais argumentos, o objetivo deste trabalho consiste em analisar se, e como, as controvérsias sociocientíficas são usadas pelos pesquisadores brasileiros para abordar a natureza da ciência. Para tal, foi realizada uma pesquisa qualitativa, do tipo bibliográfica, com os dados sendo constituídos a partir do Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES. Os resultados mostram que o uso das controvérsias sociocientíficas como forma de compreender a natureza da ciência é escasso. No entanto, os dados indicam que esta se constitui em abordagem ideal para discutir a natureza da ciência de forma contextualizada e atual. Argumentamos que, dado tal potencial, se faz necessário formar os docentes para utilizar as controvérsias sociocientíficas em suas aulas, bem como, muni-los de exemplos práticos para tal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Krupczak, Universidade Federal do Paraná

Licenciada e Bacharela em Química pela UFPR. Mestra em Educação em Ciências e em Matemática pela UFPR. Atualmente é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática.

Joanez Aparecida Aires, Universidade Federal do Paraná

Mestra em Educação pela UFSC e doutora em Educação Científica e Tecnológica pela UFSC. Atualmente é professora do Departamento de Química da UFPR.

Referências

Abd-El-Khalick, F., Bell, R. L., & Lederman, N. G. (1998). The nature of science and instructional practice: making the unnatural natural. Science Education, 82(4), 417-436.

Abd-El-Khalick, F., & Lederman, N. G. (2000). Improving science teachers' conceptions of nature of science: A critical review of the literature. International journal of science education, 22(7), 665-701.

Azevedo, N. H., & Scarpa, D. L. (2017). Revisão sistemática de trabalhos sobre concepções de natureza da ciência no ensino de ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 17(2), 579-619.

Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE). (2019). Percepção pública de C&T no Brasil: resumo executivo. Brasília.

Fernandes, G. W. R., Rodrigues, A. M., & Ferreira, C. A. R. (2018). Elaboração e validação de um instrumento de análise sobre o papel do cientista e a natureza da ciência e da tecnologia. Investigações em Ensino de Ciências, 23(2), 256-290.

Clough, M. P. (2006). Learners’ responses to the demands of conceptual change: Considerations for effective nature of science instruction. Science & Education, 15(5), 463-494.

Clough, M. P., & Olson, J. K. (2012). Impact of a nature of science and science education course on teachers’ nature of science classroom practices. In: Khine, M. S. (Ed.). Advances in nature of science research. Springer, Dordrecht, 247-266.

Eastwood, J. L., Sadler, T. D., Zeidler, D. L., Lewis, A., Amiri, L., & Applebaum, S. (2012). Contextualizing nature of science instruction in socioscientific issues. International Journal of Science Education, 34(15), 2289-2315.

Faria, C., Freire, S., Galvão, C., Reis, P., & Figueiredo, O. (2014). " Como trabalham os cientistas?": potencialidades de uma atividade de escrita para a discussão acerca da natureza da ciência nas aulas de ciências. Ciência & Educação (Bauru), 20(1), 1-22.

Flick, U. (2009). Pesquisa qualitativa: por que e como fazê-la. In: Flick, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. (pp. 20-38). Porto Alegre: Artmed.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

Reis, P., & Hilário, T. (2009). Potencialidades e limitações de sessões de discussão de controvérsias sociocientíficas como contributos para a literacia científica. Revista de Estudos Universitários, 35(2), 167-183.

Karisan, D., & Zeidler, D. L. (2017). Contextualization of nature of science within the socioscientific issues framework: A review of research. International Journal of Education in Mathematics, Science and Technology, 5(2), 139-152.

Khishfe, R. (2014). Explicit nature of science and argumentation instruction in the context of socioscientific issues: An effect on student learning and transfer. International Journal of Science Education, 36(6), 974-1016.

Khishfe, R., & Lederman, N. (2006). Teaching nature of science within a controversial topic: Integrated versus nonintegrated. Journal of Research in Science Teaching, 43(4), 395-418.

Kolstø, S. D. (2001). Scientific literacy for citizenship: Tools for dealing with the science dimension of controversial socioscientific issues. Science Education, 85(3), 291-310.

Krupczak, C. (2019). Natureza da ciência nas pesquisas sobre controvérsias sociocientíficas: o estado do conhecimento no contexto brasileiro. Dissertação de Mestrado em Educação em Ciências e em Matemática – Setor de Ciências Exatas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Krupczak, C., & Aires, J. A. (2018). Natureza da ciência: o que os pesquisadores brasileiros discutem?. Amazônia: Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, 14(32), 19-32.

Krupczak, C., & Aires, J. A. (2019). Controvérsias sociocientíficas: uma análise da produção acadêmica brasileira. VIDYA, 39(1), 277-290.

Krupczak, C., Lorenzetti, L., & Aires, J. A. (2020). Controvérsias sociocientíficas como forma de promover os eixos da alfabetização científica. Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, 9(1), 1-20.

Lederman, N. G. (2007). Nature of science: Past, present, and future. In: Abell, S. K., Lederman, N. G. (Ed.). Handbook of research on science education. NJ: Lawrence Erlbaum Associates, 831-879.

Lederman, N. G., Antink, A., & Bartos, S. (2014). Nature of science, scientific inquiry, and socio-scientific issues arising from genetics: A pathway to developing a scientifically literate citizenry. Science & Education, 23(2), 285-302.

Matthews, M. R. (2012). Changing the focus: from nature of science to features of science. In: Khine, M. S. (Ed.). Advances in nature of science research. Dordrecht: Springer, 3-26.

McComas, W. F., CLOUGH, M. P., & ALMAZROA, H. (1998). The role and character of the nature of science in science education. In: McComas, W. F. (Ed.). The nature of science in science education: rationales and strategies. New York: Kluwer Academic Publishers, 3-40.

Mundim, J. V., & Santos, W. L. P. D. (2012). Ensino de ciências no ensino fundamental por meio de temas sociocientíficos: análise de uma prática pedagógica com vista à superação do ensino disciplinar. Ciência & Educação (Bauru), 18(4), 787-802.

Oki, M. D. C. M., & Moradillo, E. F. D. (2008). O ensino de história da química: contribuindo para a compreensão da natureza da ciência. Ciência & Educação (Bauru), 14(1), 67-88.

Pérez, D. G., Montoro, I. F., Alís, J. C., Cachapuz, A., & Praia, J. (2001). Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação (Bauru), 7(2), 125-153.

Sadler, T. D., & Zeidler, D. L. (2004). The morality of socioscientific issues: Construal and resolution of genetic engineering dilemmas. Science Education, 88(1), 4-27.

Downloads

Publicado

2021-08-07

Como Citar

Krupczak, C., & Aires, J. A. (2021). A natureza da Ciência nas pesquisas sobre controvérsias sociocientíficas. Revista Debates Em Ensino De Química, 7(1), 310–327. Recuperado de http://journals.ufrpe.br/index.php/REDEQUIM/article/view/3803

Edição

Seção

Debates em História e Filosofia da Química para o Ensino