EFLUENTES DOMÉSTICOS PARA A RECUPERAÇÃO DE SOLOS DEGRADADOS VISANDO A PRODUÇÃO DE MILHETO

Autores

  • Cassiana Felipe Souza Universidade Federal da Paraíba, Departamento de Solos
  • Aldrin Martin Perez-Marin Pesquisador Titular do Instituto nacional do Semiárido
  • José Amilton Santos Junior Departamento de Engenharia Agrícola da Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Thiago Costa Ferreira Pesquisador PCI - INSA

Palavras-chave:

Recuperação de solo, Semiárido, Pennisetum americanum

Resumo

Objetivou-se avaliar a produtividade do milheto irrigado com efluente doméstico em três tipos de solos. Estes ensaios foram conduzidos em ambiente protegido, na Estação Experimental do Instituto Nacional do Semiárido (INSA), no município de Campina Grande, PB. Usou-se um esquema fatorial (3 x 6), com quatro repetições, sendo os fatores: F1 - três tipos de solos coletados em áreas degradadas (Planossolo, Luvissolo crômico e Neossolo litólico) e F2 - seis tratamentos [Controle; ED + NPK; E 0,0% - irrigação com efluente doméstico (ED), sem urina humana (UH); EDUH 1,5% - ED (98,5 %) + UR (1,5%); EDUH 3,0% - ED (98,5 %) + UR (1,5%) e EDUH 4,5% - ED (98,5 %) + UR (1,5%)]. Foram avaliados os componentes de crescimento e de produção do milheto. Houveram efeitos significativos entre os tratamentos para as variáveis analisadas, quando comparados às testemunhas (AB e/ou AB+NPK) em relação aos demais tratamentos e solos trabalhados. Efluentes domésticos e urina podem ser utilizados na agricultura, em áreas semiáridas para a recuperação do solo e produção de biomassa em plantações de milheto.

Referências

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Secretaria de Defesa Agropecuária. – Brasília: Mapa/ACS. 2009. 399 p.

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos (RJ). Manual de métodos de análise de solo. (2ª ed.), Rio de Janeiro: EMBRAPA-CNPS.1997.

FOLONI, J.S.S.; LIMA, S.L.; BÜLL, L.T.; Crescimento aéreo e radicular da soja e de plantas de cobertura em camadas compactadas de solo. R. Bras. Ci. Solo. 30: 49-57. 2006.

GUIMARÃES, D. P.; SANS, L.M. A; MORAES, A.V.C. Estimativa da área foliar de cultivares de milho. Anais. XXIV Congresso Nacional de Milho e Sorgo. Florianópolis – SC. 2002.

HARGREAVES, G.H.; SAMANI, Z.A., Reference crop evapotranspiration from temperature. Transaction of ASAE. 1. 2: p.96-99. 1985.

HÖGLUND, C. Evaluation of microbial health risks associated with the reuse of source-separated human urine. Tese de Doutorado. Swedish Institute for Infectious Disease Control (SMI), Department of Water and Environmental Microbiology, Stockholm. 2001.

LIMA, G.S., NOBRE, R.G., GHEYI, H.R., SOARES, L.A.A., SILVA, A.O. Produção da mamoneira cultivada com água salinas e doses de nitrogênio. Revista Ciência Agronômica, 46: 1-10. 2015.

MEDEIROS, S. S. M.; REIS, C. F.; SALCEDO, I. H.; PEREZ-MARIN, A. M.; SANTOS dos, D. B.; BATISTA, R. O.; JUNIOR SANTOS, J. A. M. Abastecimento de água: Panorama para o Semiárido Brasileiro. Campina Grande, INSA. 2014. 93p.

MELO, N.C.; FERNANDES, A.R.; GALVAO, J.R.. Crescimento e eficiência nutricional do nitrogênio em cultivares de milheto forrageiro na amazônia. Revista Caatinga. 28: 68-78. 2015.

MENEZES, R. S. C.; GARRIDO, M. S.; PÉREZ-MARIN, A. M. Fertilidade dos Solos no Semi-Árido. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 30, 2005. Anais do Evento, Recife, 250-262. 2005.

MESQUITA, E.E.; PINTO, J.C.; MORAIS, A.R. Doses de Nitrogênio e Métodos de Semeadura no Rendimento de Sementes de Milheto (Pennisetum americanum (L.) Leeke). Revista Brasileira de Zootecnia. 27: 255-261. 1998.

PEREIRA FILHO, I. A.; FERREIRA, A. S.; COELHO, A. M.; CASELA, C. R.; KARAM, D.; RODRIGUES, J. A. S.; CRUZ, J. C.; WAQUIL, J. M. Manejo da Cultura do Milheto: Circular Técnica 29. Brasília, Embrapa. 2003.

QUEIROZ, D. S.; SANTANA, S. S.; MURÇA, T. B.; SILVA, E. A.; VIANA, M. C. M.; RUAS, J. R. M. Cultivares e épocas de semeadura de milheto para produção de forragem. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal,13: 318-329. 2012.

SANTOS, M.E. R.; FONSECA DA, D. M. R.; PIMENTEL, M, SILVA, G.P.; GOMES, V.M.; SILVA DA,S.P. Número e peso de perfilhos no pasto de capim-braquiária sob lotação contínua. Acta Sciencia. 33: 131-136. 2011.

SENE M.; HIJIKATA N.; USHIJIMA K.; FUNAMIZU, N. Application of Human Urine in Agriculture. In: Resource-Oriented Agro-sanitation Systems. Tokyo, JAN, Springer. 213-242. 2019.

SHRESTHAA, D.; SRIVASTAVAA, A.; SHAKYAA, S.M.; KHADKAB, J.; ACHARYA, B.S. Use of compost supplemented human urine in sweet pepper (Capsicum annuum L.) production. Scientia Horticulturae. 153: 8–12. 2013.

UPRETI, H.K.; SHRESTHA, P.; PAUDEL, P. Effect of human urine as fertilizer on crop production. Agronomy Society of Nepal (ASoN). 2011. 314p.

VELOSO, M. E. C.; DUARTE, S. N.; SILVA, I. J. O. Potencial de uso de águas residuárias na agricultura como suprimento hídrico e nutricional. Engenharia Rural. 15: 79-86. 2004.

Downloads

Publicado

2020-06-18