http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/issue/feed Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica 2020-07-16T07:45:25+00:00 Bárbara Martins Lopes anaisapca@gmail.com Open Journal Systems <div> <p>A Academia Pernambucana de Ciência Agronômica, desde 2004, vem editando os <strong>Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica</strong> (AAPCA), com periodicidade anual até o ano de 2017. Em 2018, ano em que são comemorados os <strong>15 anos de publicação</strong> dos AAPCA, a periodicidade da Revista passa a ser semestral.</p> <p>Registrados sob o <strong>ISSN: 1980-0258</strong>, em atendimento à Lei nº 10.944, de 14 de dezembro de 2004 de Depósito Legal, os Anais da APCA encontram-se indexados na<strong> Base QUALIS DA CAPES (B5-10)</strong> e na <strong>Base Latindex</strong> – Sistema Regional de Información em Linea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal. Também estão registrados sob o <strong>INSS-Eletrônico 2448-2811</strong>.</p> </div> <div><strong><span style="color: #000000;">Prof. Mario de Andrade Lira Junior<br /></span></strong></div> <div><strong><span style="color: #000000;">Editor</span></strong></div> http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3486 OS ANAIS DA APCA INICIAM UMA NOVA ERA 2020-06-18T09:56:37+00:00 Romero Marinho de Moura romeromoura@yahoo.com.br Editorial do número 17, volume 1 dos Anais da APCA 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3473 CONSIDERAÇÕES HISTÓRICAS SOBRE O PDCT/NE/UFRPE 2020-06-18T09:56:37+00:00 José Benjamin Machado Coelho jbencoelho@gmail.com <p>No período de 1983 a 1990, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) coordenou no Semiárido do Nordeste brasileiro, por meio de empréstimo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Programa de Desenvolvimento Científico e Tecnológico para o Nordeste (PDCT/NE).</p> 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3474 O CENTRO DE TREINAMENTO E PESQUISA EM PEQUENA IRRIGAÇÃO (CTPPI): O EMBRIÃO DA UNIDADE ACADÊMICA DE SERRA TALHADA (UAST/UFRPE) 2020-06-18T09:56:37+00:00 Romero Marinho de Moura romeromoura@yahoo.com.br O Programa de Desenvolvimento Científico e Tecnológico para o Nordeste (PDCT/NE), efetivado nos anos 1980, possuía no seu orçamento uma rubrica no valor aproximado de US$ 10.000.000,00 (dez milhões de dólares), correspondente a R$ 40.000.000,00 (quarenta milhões de reais) em valores atuais, para construção de um <strong>Centro de Treinamento e Pesquisa em Pequena Irrigação</strong> (CTPPI), compra de todo o mobiliário e poltronas, no caso, extremamente confortáveis, e, também, a instalação de um anfiteatro moderno, com todos os equipamentos áudios-visuais necessários. A construção obedecia a um projeto arquitetônico pré-concebido, permitindo-se pequenos ajustes, e a área a ser construída era de, aproximadamente, 2.000 m<sup>2</sup> e mais duas excelentes residências destinadas aos dirigentes, situadas ao lado do Centro. 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3472 EDUCAÇÃO POR COMPETÊNCIAS: SÍNTESE DE UM MARCO CONCEITUAL 2020-06-18T09:56:38+00:00 Carlos Alberto Tavares carlostavares19@yahoo.com.br Crônica 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3614 Cuscuta spp.; UM RELATO DE CASO NO RECIFE, PERNAMBUCO, BRASIL 2020-06-18T09:56:39+00:00 Romero Marinho de Moura romeromoura@yahoo.com.br <p>Esta comunicação tem como propósito assinalar o parasitismo de <em>Cuscuta</em> sp. em <em>Thevetia peruana</em> (apocynaceae), um arbusto utilizado em arborização de ruas, avenidas, parques e praças na cidade do Recife. Também é propósito, ressaltar o perigo iminente que esse organismo aclorofilado representa para as plantas em geral na cidade. Finalmente, chama atenção para a necessidade de permanente fiscalização do setor de Fitossanidade da Prefeitura da cidade do Recife para o combate sistemático a esse importante problema evitando-se, assim, perdas, sobretudo de altas árvores. Não foi encontrada outra referência sobre o parasitismo de <em>Cuscuta</em> sp. em <em>T. peruana </em>in Brasil.</p> 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/2624 BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO CURSO DO RIO PARAÍBA - PB, BRASIL E SUA ANÁLISE PLUVIOMÉTRICA 2020-06-18T09:56:39+00:00 Raimundo Mainar Medeiros mainarmedeiros@gmail.com <p>A precipitação é de extrema importância para o gerenciamento dos recursos hídricos, uma vez que se trata de áreas degradadas e com realização de desmatamento para implantações de agricultura de sequeiro e a retirada da lenha. A Bacia Hidrográfica do Alto curso do rio Paraíba (BHACRP) é composta de 12 municípios e serão analisadas suas flutuações pluviais. Efetuou-se análise de frequência nos totais anuais das chuvas e elaboraram-se gráficos e tabelas. Utilizou-se a escala proposta por Meis et al. (1981) e pelos núcleos de meteorologia do CPTEC/INPE, disponibilizada por Xavier et al (2005). Os valores anuais que se aproximaram do valor médio foram caracterizados como intermediários, e na escala de valores de precipitação anual, aqueles que se afastaram 25% em relação à média foram considerados como anos muito chuvosos, e abaixo dos 25%, como anos secos. A aplicação do teste de significância T de Student destacou que os dados de precipitação de modo geral são 99% significativos. Os resultados mostraram tendência de redução dos índices pluviométricos, com oscilações das precipitações ao longo da série 1962 a 2017e evidenciou-se a recorrência de valores máximos de precipitação anual no intervalo de 17, 13 e 9 anos. Sugere-se estudo com série de maior número de anos a fim de verificar as flutuações e as contribuições dos fenômenos El Niño(a) na área estudada.</p> 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3494 EMBRYONIC DEVELOPMENT AND HACTHING OF Meloidogyne enterolobii (NEMATODA: MELOIDOGYNIDEAE) 2020-07-16T07:45:25+00:00 Romero Marinho de Moura romeromoura@yahoo.com.br Vanessa Lopes Lira vanessallira@yahoo.com.br It was studied and documented the embryonic development of the plant parasitic nematode <em>Meloydogyne enterolobii</em>, the guava root-knot nematode. The specimens used were collected from a pure culture of this nematode species maintained under greenhouse conditions. For the analysis of the events, it was used young (whites) and old (browns) egg messes, following standard procedures. The results pointed out that the different stages of the embryonic development of the studied nematode followed the similar pattern described in the literature for others Tylenchomorpha. 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3163 EFLUENTES DOMÉSTICOS PARA A RECUPERAÇÃO DE SOLOS DEGRADADOS VISANDO A PRODUÇÃO DE MILHETO 2020-06-18T09:56:39+00:00 Cassiana Felipe Souza cassianafelipe@gmail.com Aldrin Martin Perez-Marin aldrin.perez@insa.gov.br José Amilton Santos Junior eng.amiltonjr@hotmail.com Thiago Costa Ferreira thiago.ferreira@insa.gov.br <p>Objetivou-se avaliar a produtividade do milheto irrigado com efluente doméstico em três tipos de solos. Estes ensaios foram conduzidos em ambiente protegido, na Estação Experimental do Instituto Nacional do Semiárido (INSA), no município de Campina Grande, PB. Usou-se um esquema fatorial (3 x 6), com quatro repetições, sendo os fatores: F1 - três tipos de solos coletados em áreas degradadas (Planossolo, Luvissolo crômico e Neossolo litólico) e F2 - seis tratamentos [Controle; ED + NPK; E 0,0% - irrigação com efluente doméstico (ED), sem urina humana (UH); EDUH 1,5% - ED (98,5 %) + UR (1,5%); EDUH 3,0% - ED (98,5 %) + UR (1,5%) e EDUH 4,5% - ED (98,5 %) + UR (1,5%)]. Foram avaliados os componentes de crescimento e de produção do milheto. Houveram efeitos significativos entre os tratamentos para as variáveis analisadas, quando comparados às testemunhas (AB e/ou AB+NPK) em relação aos demais tratamentos e solos trabalhados. Efluentes domésticos e urina podem ser utilizados na agricultura, em áreas semiáridas para a recuperação do solo e produção de biomassa em plantações de milheto.</p> 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3157 CARACTERES MORFOANATÔMICOS DE Campomanesia adamantium (Cambess.) O. Berg, UMA PLANTA MEDICINAL DO CERRADO BRASILEIRO 2020-06-18T09:56:39+00:00 Luan Marlon Ribeiro luanmarlon@hotmail.com Michele Aparecida dos Santos Nobrega nobrega_michele@yahoo.com.br Jackeline Schultz Soares jacke.schultz@gmail.com José Carlos Sorgato josesorgato@ufgd.edu.br Maria do Carmo Vieira mariavieira@ufgd.edu.br <em><span>Campomanesia adamantium, </span></em><span>Myrtaceae, é conhecida popularmente como guavira ou gabiroba. Estudos com espécies de <em>Campomanesia</em> têm comprovado seu uso como anti-inflamatório, antidiarreico, anti-séptico das vias urinárias, e na medicina popular usada em males do fígado e problemas reumáticos. O objetivo deste estudo foi caracterizar morfoanatomicamente raiz, caule e folhas de <em>C. adamantium</em>, visando à contribuição de estudos futuros para o controle da qualidade da matéria prima vegetal. Amostras do material vegetal da espécie estudada foram coletadas, seccionadas, fixadas e coradas com corantes específicos, seguindo metodologias descritas na literatura especializada. A raiz possui epiderme unisseriada; exoderme uniestratificada e endoderme contendo compostos fenólicos e estrias de Caspary; o cilindro vascular varia de pentarco a hexarco com metaxilema e cordões floemáticos localizados entre o protoxilema. O caule tem células secretoras subepidérmicas e endoderme com amiloplastídios; ainda possui uma camada subepidérmica de colênquima no córtex e anéis de crescimento distintos, delimitados por estreita camada de fibras. A folha possui epiderme unisseriada, com células epidérmicas retangulares na face abaxial; células epidérmicas menores na face adaxial, com parede periciclinal recoberta com cera ou cutícula fina; as folhas são hipoestomáticas, onde os estômatos são dispostos somente na face abaxial. Os resultados obtidos neste trabalho poderão ser utilizados em referências para o maior conhecimento e ampliação da espécie estudada.</span> 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/3475 USO DO SOLO E VARIAÇÕES CLIMÁTICAS NA CAATINGA E SEUS EFEITOS SOBRE A COMUNIDADE DE NEMATOIDES 2020-06-18T09:56:38+00:00 Juliane Vanessa Carneiro de Lima da Silva carneirosjuliane@gmail.com Juvenil Enrique Cares cares.j28@gmail.com André Morgado Esteves carneirosjuliane@gmail.com <p>A biodiversidade do solo enfrenta pressões crescentes das ações humanas, incluindo a conversão, degradação e fragmentação de habitats. O efeito desses fatores somado às mudanças climáticas não reduz apenas a diversidade e abundância da biota do solo, mas também suas funções e serviços ecossistêmicos. Os nematoides constituem um importante modelo de biota para compreender as respostas da biodiversidade do solo aos efeitos dos distúrbios antrópicos e mudanças climáticas, uma vez que eles ocupam uma posição central na cadeia alimentar e apresentam uma diversidade taxonômica e funcional. A Caatinga, um mosaico de florestas tropicais sazonalmente secas que ocorre somente no Brasil, tem enfrentado forte influência de distúrbios antrópicos, como a agropecuária e exploração de diversos recursos naturais. Além disso, mudanças climáticas também ameaçam a Caatinga e podem até agravar os efeitos de distúrbios antrópicos. As funções e serviços ecossistêmicos fornecidos pelos nematoides em florestas tropicais são afetados principalmente por distúrbios físicos no solo, fatores edáficos, temperatura e precipitação.</p> 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/2381 ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE SEQUELAS NEUROLÓGICAS DECORRENTES DA INFECÇÃO POR VÍRUS DA CINOMOSE CANINA - REVISÃO DE LITERATURA- 2020-06-24T09:10:33+00:00 Luiza Borba de Almeida Madruga luizaalmeida95@hotmail.com Terezinha Carla Carvalho da Silva terezinhacarvalhoufrpe@gmail.com Maria Clara Corrêa Verzolla luizaalmeida95@hotmail.com Hélvio Rodrigues de Lima evilda17@hotmail.com Evilda Rodrigues de Lima evilda17@hotmail.com <p>Acupuntura é uma técnica da Medicina Tradicional Chinesa descrita há 5000 anos. Consiste na aplicação de agulhas filiformes em pontos específicos do corpo com a finalidade de tratar diversas enfermidades. O objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão de literatura referente à ação da acupuntura no tratamento das sequelas neurológicas decorrente da cinomose. A metodologia utilizada foi o estudo bibliográfico dos conceitos que embasam a teoria filosófica taoista que é necessária para a aplicação adequada da mencionada técnica e obtenção de resultados terapêuticos efetivos no restabelecimento da saúde por meio da homeostasia orgânica.</p> 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica http://journals.ufrpe.br/index.php/apca/article/view/2506 Ralstonia spp.,: TÉCNICAS DE ISOLAMENTO, CULTIVO E INOCULAÇÃO 2020-06-18T09:56:38+00:00 Tauane Santos Brito tauane-brito@hotmail.com Leticia Delavalentina Zanachi leticia_zanachi@hotmail.com Renan Pan renan__pan@hotmail.com Odair José Kuhn ojkuhn@gmaill.com <p>Presente naturalmente no solo ou algumas bactérias do gênero <em>Ralstonia</em> são causadoras da doença murcha-bacteriana em culturas de importância econômica, em especial as participantes da família das Solanaceae e Musaceae. Esta revisão objetivou abordar de modo preliminar, os métodos de isolamento, cultivo, inoculação e de avaliação, que são mais utilizados para a identificação da murcha-bacteriana em plantas infectadas. O método de isolamento indicado para <em>Ralstonia</em> spp., inicia com a obtenção de uma suspensão bacteriana, a partir da exsudação leitosa de caules contaminados, em água destilada e esterilizada, para posterior semeadura em meio de Kelman, com adição de cloreto de tetrazólio a 28ºC. As técnicas de inoculação devem considerar às relações patógeno-hospedeiro, adaptadas de acordo com o objetivo da pesquisa a ser realizada. Essas técnicas podem variar, destacando-se à via pulverização, via injeção da suspensão bacteriana no organismo vegetal, ou via cortes prévios em mudas e raízes para posterior imersão em suspensão bacteriana. Para avaliar a presença da bactéria em plantas contaminadas, a principal metodologia se baseia no teste de exsudação em gota d’água, onde fragmentos do material contaminado são colocados em gotas de água para observação em microscópio, buscando verificar se há ou não exsudação de pus bacteriano. Contudo, a identificação de plantas infectadas por <em>Ralstonia</em> spp., não pode ser fundamentada em um parâmetro específico, como, por exemplo, a exsudação bacteriana, pois alguns outros patógenos podem fazê-lo. Assim, deve-se analisar outros fatores, antes de ser emitido o diagnóstico definitivo.</p> 2020-06-18T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica