A crise do capital na contemporaneidade: o estado social em tempos de ajuste neoliberal

Iris Karine dos Santos Silva

Resumo


O presente trabalho tem o objetivo de tecer breves considerações acerca da crise do capital na contemporaneidade, atentando para falência do Estado Social, a luz da teoria social histórico crítica. As medidas de ajustes neoliberal são implementadas enquanto resposta a essa conjuntura, em que pese as alterações provocadas no bojo da produção capitalista e que exercem fortes efeitos para as condições de vida do conjunto da classe trabalhadora. Frente a esse cenário, o padrão de financiamento que acaba de se instaurar, pauta contundentemente a manutenção da produção capitalista com vistas a assegurar a reprodução do capital. Esse quadro é bastante perverso para o conjunto da classe trabalhadora, que além de serem os maiores financiadores na composição do fundo público através da tributação regressiva presente nos países de capitalismo periférico em que se destaca a particularidade do Brasil, se veem dependentes de um sistema de proteção social insuficiente. A atual etapa do desenvolvimento do capital mostra índices de sua falência, tendo como sustentáculo a esfera das finanças, que mascara sua real situação. As aproximações com o tema se deram através de pesquisa exploratória, recorrendo-se a revisão bibliográfica para a coleta dos dados.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Cadernos de Ciências Sociais da UFRPE

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons