“DEUS, PÁTRIA E FAMÍLIA”: OS SENTIDOS DO FASCISMO BRASILEIRO, DO INTEGRALISMO AO POPULISMO DO SÉCULO XXI

Autores

  • João Paulo Martins de Almeida Universidade Federal de Alagoas (UFAL), mestrando do Programa de Pós-Graduação em Linguística e Literatura, linha de Discurso: Sujeito, História e Ideologia.

Palavras-chave:

Fascismo, Neofascismo, Integralismo, Análise do Discurso.

Resumo

Neste trabalho, busca-se a elucidação dos sentidos produzidos pelo discurso do fascismo e do neofascismo brasileiros, correlacionando-as temporalmente, do integralismo ao populismo de direita do século XXI. Aponta-se a Análise do Discurso como a ciência que se preocupa com o estudo da ideologia, da História, do sujeito e dos efeitos de sentido tecidos no discurso. Intenta-se demonstrar como o fascismo irrompe no Brasil no decorrer do século XX, utilizando-se de elementos do discurso religioso para pôr em funcionamento o discurso fascista e produzir seus sentidos. Ademais, busca-se identificar os valores do neofascismo emergente no país e suas estratégias discursivas (de ordem linguística e extralinguística), presentes no slogan da campanha presidencial de 2018, circulante tanto na mídia tradicional (outdoors, propaganda político-partidária na TV) quanto nas mídias sociais. Percebe-se que o discurso do fascismo brasileiro se atualiza no hodierno de modo parafrástico e polissêmico, recuperando sentidos já-produzidos e já-ditos em 1932, quando da fundação da Ação Integralista Brasileira, e em 1964, quando da ocorrência da “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, ao mesmo tempo em que gera, também, novas significações no contexto brasileiro do século XXI.

Biografia do Autor

João Paulo Martins de Almeida, Universidade Federal de Alagoas (UFAL), mestrando do Programa de Pós-Graduação em Linguística e Literatura, linha de Discurso: Sujeito, História e Ideologia.

Possui graduação em Letras - Português/Inglês pelo Centro Universitário Estácio Uniseb Ribeirão Preto (2014) e pós-graduação em Análise do Discurso Midiático pela Faculdade Unyleya (2018). Atualmente atua como professor de língua inglesa (English Teacher - Level C1 in the Council of Europe's Common European Framework of Reference) em escola bilíngue - System Idiomas e como prestador de serviços relacionados à banca de correção de redações do Ensino Médio, havendo atuado previamente como professor de língua inglesa do Ensino Fundamental - Colégio Santa Úrsula. Mestrando em Análise do Discurso pela Universidade Federal de Alagoas pelo PPGLL (Programa de Pós-graduação em Linguística e Literatura) e participante do GrAD (grupo de estudos em Análise do Discurso).

Referências

ALTHUSSER, L. Ideologia e aparelhos ideológicos de Estado (notas para uma investigação). In: ZIZEK, S. Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2007, p. 105-142.

AMARAL, M. V. B. O avesso do discurso: análise de práticas discursivas no campo do trabalho. Maceió: EDUFAL, 2007.

CENTRO de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas. A marcha da família com Deus pela liberdade. Disponível em: https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/Jango/artigos/AConjunturaRadicalizacao/A_marcha_da_familia_com_Deus. Acesso em: 20 set. 2020.

COURTINE, J.-J. Metamorfoses do discurso político: as derivas da fala pública. São Carlos: Claraluz, 2006.

______. Definição de orientações teóricas e construção de procedimentos em Análise do Discurso. Policromias – Revista de Estudos do Discurso, Imagem e Som. Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 14-35, 2016.

ECO, U. Fascismo eterno. Rio de Janeiro: Record, 2019.

GADET, F.; HAK, T. Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Tradução Bethania S. Mariani et al. Campinas: Editora da Unicamp, 2014.

MANIFESTO de 7 de outubro de 1932. Disponível em: https://www.integralismo.org.br/manifesto-de-7-de-outubro-de-1932/. Acesso em: 24 set. 2020.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

ORLANDI, E. P. Análise do discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2020.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Editora da Unicamp, 2014.

Downloads

Publicado

2020-12-29