Inserção da mulher na Ciência da Computação no município de Garanhuns

João Ferreira da Silva Júnior, Sérgio Francisco Tavares de Oliveira Mendonça

Resumo


O número de mulheres na Computação tem se mostrado cada vez menor. Na Universidade, em especial na Universidade Federal Rural de Pernambuco, em sua Unidade Acadêmica de Garanhuns, este número tem se apresentado de forma muito tímida. Em uma turma ingressante de um total de 40 estudantes, menos de 15% são mulheres. Claudia Maria Bauzer Medeiros, presidente da Sociedade Brasileira de Computação (SBC), informa que em 2005, no Brasil, dos estudantes de pós-graduação em Ciência da Computação, somente 25% eram mulheres, e entre docentes, de 25 a 30%. Em Ciência da Computação, há quatro ou cinco mulheres em turmas de 50 alunos. Espera-se como resultado, além do aumento do número de mulheres no curso de Ciência da Computação, uma maior participação de cada estudante do ensino médio, como embaixadora do curso de Ciência da Computação da UFRPE/UAG, para que estas estudantes atuem em suas escolas e comunidades como agentes de divulgação e assim, favorecer a inclusão da mulher na Ciência.


Texto completo:

PDF

Referências


F. J. V. Passos, P. C. Braathen, M. Guerreiro, M. A. Arruda, J. C. Bohnenberger, “Programa de tutoria: uma experiência. XXIX Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia, CBE-013, 2001”.

F. J. V. Passos, P. C. Braathen, M. Guerreiro, M. A. Arruda, J. C. Bohnenberger, “Programa de tutoria: uma esperança. XXIX Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia, CBE-014, 2001”.

Miranda, M. A.; Barbosa, L. S. O. Ensino de Lógica e Linguagem de Programação, de autoria dos professores do Centro de Estudo Superiores de Itacoatiara da Universidade do estado do Amazonas (CESI/UEA).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons