Formação e Concentração do Ozônio Troposférico no Município de Lamarão do Passé – Ba: Estudo das Transformações de NOx e os Possíveis Impactos a Saúde Humana

Autores

  • Luciano da Silva Alves Centro Universitário Jorge Amado - UNIJORGE
  • Lara Camila da Silva Alves Universidade Salvador - UNIFACS

Palavras-chave:

ozone, health, pollution, air, monitoring

Resumo

Esta pesquisa tem como principal objetivo avaliar a formação e concentração de Ozônio (O3) troposférico na atmosfera de Lamarão do Passé, localizada na área de influência do Polo Industrial de Camaçari - Ba e relatar sobre os possíveis efeitos a saúde humana. Para a realização desta pesquisa, foram utilizados os dados de monitoramento diários da qualidade do ar disponibilizados pela Cetrel S/A, referentes ao ano de 2017 e ao primeiro semestre de 2018. Os dados foram tratados conforme a média horária das concentrações, Resolução CONAMA nº 491/2018 e Organização Mundial da Saúde (OMS). Os resultados demonstraram conformidade na formação do O3 através das transformações de NOx. Quanto as concentrações, essas não violaram o limite de 71,4 ppb imposto pela Resolução CONAMA nº 491/2018. Para tanto, quando comparado com os padrões orientados pela OMS, a concentração de 51,21 ppb ultrapassou o limite estabelecido de 51 ppb. Embasado nos resultados, dado que em maior parte do tempo de monitoramento as concentrações estiveram de acordo com a legislação em vigor, conclui-se que as probabilidades de adquirir doenças associadas a poluição atmosférica no Município, são minimizadas, contudo, por estar localizada em zona industrial, exige-se que as atividades de monitoramento sejam acompanhadas continuamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano da Silva Alves, Centro Universitário Jorge Amado - UNIJORGE

Departamento de Engenharia Ambiental e Sanitária

Lara Camila da Silva Alves, Universidade Salvador - UNIFACS

Departamento de Medicina

Referências

AMÂNCIO, C. T.; NASCIMENTO, L. F. C. Asma e poluentes ambientais: um estudo de séries temporais. Revista da Associação Médica Brasileira, v.58, n. 3, p. 302-307, mai./jun. 2012.

ANTUNES, M. L. P.; AGUILAR, A. F.; CAMARGO, S. R. G. Identificação das fontes precursoras de ozônio na troposfera de sorocaba (s.p.). REA – Revista de Estudos Ambientais, Blumenau, v.10, n. 1, p. 33-39, jan./jun. 2008.

BRAGA, A.; BÖHM, M. G.; PEREIRA, L. A. A.; SALDIVA.P. Poluição atmosférica e saúde humana. Revista USP, São Paulo, n. 51, p. 58-71, set./nov. 2001.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução nº 491 de 19 de novembro de 2018. Dispõe sobre padrões de qualidade do ar. Diário oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 19 nov 2018.

CESAR, G. C. A.; NASCIMENTO, C. F. L.; CARVALHO, A. J. Associação entre exposição ao material particulado e internações por doenças respiratórias em crianças. Revista de Saúde Pública, v.47, n.6, p.1209-12, 2013.

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO - CETESB. Relatório de Qualidade do Ar no Estado de São Paulo. 2014.

COUTO, E.R. Transformações de SO2 e NO2 na atmosfera da área de influência do Polo Industrial de Camaçari. 2011. 273 f. Tese (Doutorado em Quimica) Universidade Federal da Bahia, Bahia.

DALLAROSA, Juliana Braga. Estudo da formação e dispersão de ozônio troposférico em áreas de atividade de processamento de carvão aplicando modelos numéricos. 2005. 139 f. Dissertação (Mestrado em Sensoriamento Remoto) Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

DAPPER, S.N.; SPOHR, C.; ZANINI, R.R. Poluição do ar Como Fator de Risco para a Saúde: Uma Revisão Sistemática no Estado de São Paulo. Estudos Avançados, v.30, n.86, p.83-97, 2016.

FRANCISCO, A.; ALVIM, D.; GATTI, L.; PESQUERO, C.; ASSUNÇÃO, J. Ozônio troposférico e compostos orgânicos voláteis em região impactada pela agroindústria canavieira. Química Nova, v. 39, n. 10, p. 1177-1183, 2016.

FREITAS, C. U.; LEON, A. C. M. P.; JUNGER, W. L.; GOUVEIA, N. Poluição do ar e impactos na saúde em Vitória, Espírito Santo. Revista de Saúde Pública, v.50, n. 4, 2016.

NARDOCCI, A. C.; GOUVEIA, N. C.; FREITAS, C. U.; LEON, A. C. M. P.; JUNGER, W. L. Air pollution and respiratory and cardiovascular diseases: a time series study in Cubatão, São Paulo State, Brazil. Cadernos de Saúde Pública, v.29, n. 9, p. 1867-1876, set. 2013.

NETTO, F. D.; DAEMME, L. C.; PENTEADO, R.; BELTRÃO, V. C.; SILVA, V. C. B.; CORRÊA, S. M. Formação de ozônio troposférico: uma revisão da literatura. XXV Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva, v. 4. 2017.

NEVES, N.M.S. Formação e dispersão de ozônio na região do recôncavo baiano. 2009. 137 f. Tese (Doutorado em Quimica) Universidade Federal da Bahia, Bahia.

NOGUEIRA, T., DOMINUTTI, P. A., DE CARVALHO, L. R. F., FORNARO, A., DE FATIMA ANDRADE, M. Formaldehyde and acetaldehyde measurements in urban tmosphere impacted by the use of ethanol biofuel: Metropolitan area of Sao Paulo. (MASP), 2012–2013. Fuel, v. 134, p. 505-513, 2014.

PIMENTA, Maria Antunes. Ozônio troposférico – os efeitos na saúde e no meio ambiente e diretrizes para a Região de Belo Horizonte. 2010. 83 f. Monografia (Especialização em Engenharia Sanitária e Meio Ambiente) Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

PITS, B, J, F.; PITTS, J, N. Chemistry of the upper and lower atmosphere: theory, experiments and applications. San Diego, USA: Academic Press, 2000.

Downloads

Publicado

2019-04-24

Como Citar

Alves, L. da S., & Alves, L. C. da S. (2019). Formação e Concentração do Ozônio Troposférico no Município de Lamarão do Passé – Ba: Estudo das Transformações de NOx e os Possíveis Impactos a Saúde Humana. Revista Geama, 5(1), 30–35. Recuperado de http://journals.ufrpe.br/index.php/geama/article/view/2465