Eficiência da coagulação, floculação e decantação como tratamento primário de efluente têxtil

Autores

  • Lilian Danielli da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Paulo Ricardo Dantas Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
  • Luiz Martins Pereira Neto Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
  • Valmir Cristiano Marques de Arruda Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
  • Rosangela Gomes Tavares Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
  • Vicente de Paulo Silva Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Palavras-chave:

water resource textile industry Physical-Chemical Parameters, Parameter reduction

Resumo

A intensa exploração dos recursos hídricos vem sendo um dos maiores vilões na disponibilidade desse recurso. As indústrias de modo geral utilizam grandes quantidades de água em seus processos. A indústria têxtil é uma das que mais utilizam água devido a lavagem dos tecidos. A cidade de Caruaru no estado do Pernambuco possui inúmeras dessas industrias, produzindo efluentes que necessitam de tratamento. O presente trabalho utilizou a coagulação, floculação e decantação como tratamento primário dos efluentes de uma lavanderia de Caruaru-PE, como forma de diminuir os impactos ambientais que esses efluentes possam causar aos mananciais da região. Com utilização do tratamento proposto, foi possível verificar a eficiência do mesmo na redução dos parâmetros de Cor, Turbidez, Demanda Química de Oxigênio e pH, variando a concentração de coagulante e velocidade de floculação. Os resultados obtidos a partir das análises identificaram que para a redução de DQO do efluente, a velocidade de floculação de 25rpm e a concentração de sulfato de alumio de 200mg/l foi o melhor tratamento. Porém para a melhor eficiência na redução de Cor e Turbidez, o ensaio mais adequado foi o de velocidade de floculação de 20 rpm e concentração de coagulante de 150 mg/l.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lilian Danielli da Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Mestranda do Programa de pós-graduação em Engenharia Ambiental

Paulo Ricardo Dantas, Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Mestrando do Programa de pós-graduação em Engenharia Ambiental

Luiz Martins Pereira Neto, Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Mestrando do Programa de pós-graduação em Engenharia Ambiental

Valmir Cristiano Marques de Arruda, Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Professor do departamento de Tecnologia Rural, UFRPE

Rosangela Gomes Tavares, Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Professora do departamento de Tecnologia Rural, UFRPE

Vicente de Paulo Silva, Departamento de Tecnologia Rural, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)

Professor do departamento de Tecnologia Rural, UFRPE

Referências

APHA - American Public Health Association. Standard Methods. 19th Edition.Washington, Dc, 1995.

BEZERRA, A. A. M., GUEDES, R. C., MELO, H. N. S., SOUZA, J. F., JERÔNIMO, C. E. M. Aplicação Da Coagulação/Floculação Como Pré-Tratamento Ao Processo Uv- Peróxido No Tratamento De Efluentes Têxteis. Xxx Congresso De La Asociación Interamericana De Ingeniería Sanitaria Y Ambiental. 2006.

BRASIL. Resolução CONAMA 357 de 17 de março de 2005. Brasília, DF, 2005.

CAHEIRA, C.S. et al. Processo de coagulação e Floculação . 2013. Tese (mestrado em enhenharia do ambiente)- Universidade do Porto-Portugal,2013.

COSTA, J. C. Uso do coagulante orgânico tanino no tratamento de efluente de abatedouro avícola. 2016. 30 f. TCC (Graduação) - Curso de Ciências Biológicas, Universidade Federal do ParanÁ, Palotina, 2016.

LACERDA, Â. Agreste tem 2º maior polo têxtil do Paí. 2013. Disponível em: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,agreste-tem-2-maior-polo-textil-do-pais-imp-,981078. Acesso em: 11 dez. 2018.

PAVANELLI, G. Eficiência de diferentes tipos de coagulantes na coagulação, floculação e sedimentação de água com cor ou turbidez elevada. São Paulo, 2001. Dissertação de mestrado-Escola de Engenharia de São Carlos-Universidade de São Paula, 2001.

PEREIRA NETO, L.M. Avaliação físico-química do rio Ipojuca e lavanderia têxtil de pequeno porte no município de caruaru - PE. 2017. 63 f. TCC (Graduação) - Curso de técnico em Análises Químicas, Uninassau Recife, Recife, 2017.

FAO- Food and Agriculture Organization of the United Nations. Statistics division, production/crops.2014. Disponível em: http://faostat3.fao.org/browse/Q/QC/E. Acesso em: 10 dez. 2018.

KIM, S.-C. Application of response surface method as an experimental design to optimize coagulation–flocculation process for pre-treating paper wastewater. Journal of Industrial and Engineering Chemistry, v. 38, p. 93-102, 2016.

SCHROEDER, L. H. Tratamento físico-químico por coagulação-floculação-sedimentação de efluente de indústria de celulose. 2016. Universidade Tecnológica Federal do Paraná- Curitiba, 2016.

ZHANG, M. L. Z. et al. Roles of magnetic particles in magnetic seeding coagulation-flocculation process for surface water treatment. Elsevier, v. 212, p. 337-343, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.seppur. 2018.11.011. Acesso em: 10 dez. 2018.

SOUZA, Paula Cristina de et al. Estudo do tratamento de efluente têxtil atraves de processos de coagulação/floculação e eletrocoagulação. E-xacta, Belo Horizonte, v. 9, n. 2, p.123-132, 30 nov. 2016. Revista Exacta. http://dx.doi.org/10.18674/exacta.v9i2.1953.

FREIRE, Flavio Bentes; FREITAS, Sandra Iembo de. AVALIAÇÃO DA REMOÇÃO DE COR DE UM EFLUENTE TÊXTIL SINTÉTICO. Engenharia Ambiental: Pesquisa e Tecnologia, Espírito Santo do Pinhal, v. 7, n. 3, p.241-249, 09 set. 2010.

Downloads

Publicado

2019-04-24

Como Citar

da Silva, L. D., Dantas, P. R., Neto, L. M. P., Arruda, V. C. M. de, Tavares, R. G., & Silva, V. de P. (2019). Eficiência da coagulação, floculação e decantação como tratamento primário de efluente têxtil. Revista Geama, 5(1), 36–40. Recuperado de http://journals.ufrpe.br/index.php/geama/article/view/2477