Parâmetros de qualidade e distribuição de espécies de carbono inorgânico em águas naturais de lagoas urbanas em Salvador-Ba

Autores

  • Luciano da Silva Alves Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE
  • Fabiana Costa Mandounça Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE
  • Lucas Muniz Santana Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE
  • Ingrid de Abreu Pereira Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE
  • Aldenor Gomes Santos Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE http://orcid.org/0000-0002-5472-4026

Palavras-chave:

cabono Inorgânico, lagoa, área urbana

Resumo

A presença de carbono inorgânico dissolvido (CID) nas águas superficiais é de suma importância para dinâmica do ecossistema nos processos de sucessão ecológica e cadeia alimentar. O CID está distribuído na forma de CO2, HCO3- e CO32-. O Objetivo deste trabalho foi avaliar parâmetros físico-químicos e determinar os níveis de CID em lagoas urbanas em Salvador-BA. As amostras de água foram coletadas nas lagoas do Abaeté, Unijorge, Pituaçu, Frades e Patos. Foram analisados: pH, alcalinidade, STD, CE, cloreto e dureza. A partir do pH e da alcalinidade foram determinadas as concentrações de CID. Os resultados obtidos foram: temperatura (27,5-30,5), pH (7,2-7,63), alcalinidade (18,60-56), STD (30,8-266,67), CE (46.2-400.33), cloreto (61,06-180,34) e dureza (11,4-118). Em todas as lagoas a predominância foi da espécie HCO3-. A lagoa da Unijorge apresentou o menor nível de CID total (1.97x10-4mol.L-1), enquanto a lagoa de Pituaçu apresentou maior nível (5.88x10-4mol.L-1). As taxas de CID total encontradas nas lagoas do Abaeté (4.26x10-4 mol.L-1), Pituaçu (5.88x10-4 mol.L-1) e Patos (5.47 x10-4 mol.L-1) são típicas de áreas urbanas. As concentrações de CID podem estar associadas a múltiplos fatores decorrentes do ambiente associados ao uso e ocupação do solo, emissões atmosféricas, taxa de fluxo de exportação e importação.

Biografia do Autor

Luciano da Silva Alves, Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE

Graduando do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária

Fabiana Costa Mandounça, Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE

Graduanda do Curso de Engenhaeria Química

Lucas Muniz Santana, Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE

Graduando do Curso de Engenhaeria Química

Ingrid de Abreu Pereira, Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE

Graduanda do Curso de Engenhaeria Ambiental e Sanitária

Aldenor Gomes Santos, Centro Universitário Jorge Amando - UNIJORGE

Coordenações de EngenhariaLaboratório de Química Analítica e Ambiental

Referências

ALBUQUERQUE, T. N. Estudo preliminar da correlação de dados de qualidade da água do Rio Cocó em Fortaleza -CE. 2015. 62f. Monografia (Especialização em Saneamento Ambiental), Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

ALVES, L. S.; MARTINS, L. A.; JESUS, L. B. Avaliação da qualidade da água na bacia do rio Camarajipe (Salvador – Brasil): diagnóstico dos parâmetros físico-químicos, microbiológicos e determinação do IQA. Revista Brasileira de Meio Ambiente, v.6, n.1, p.71-80, 2019.

BRASIL. Manual de Controle da Qualidade da Água para Técnicos que Trabalham em ETAS. Ministério da Saúde, Fundação Nacional de Saúde. Brasília: Funasa, 2014. 112 p.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 357/2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Ministério do Meio Ambiente, 7 de Out. Disponível em <http://www2.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35705.pdf >. Acessado em outubro/2019. 2019.

BUZELLI, G. M.; CUNHA-SANTINO, M. B. Análise e diagnóstico da qualidade da água e estado trófico do reservatório de Barra Bonita, SP. Rev. Ambient. Água, Taubaté , v. 8, n. 1, p. 186-205, 2013.

CAVALCANTE, M. S. Comportamento geoquímico do carbono dissolvido sob diferentes condições de maré no estuário do Rio Jaguaribe. 2013. 69f. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Ceará. Fortaleza.

CETESB. Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Apêndice – E significado ambiental e sanitário das variáveis de qualidade das águas e dos sedimentos e metodologias analíticas e de amostragem. Cetesb 2016, 10 de Out. Disponível em < https://cetesb.sp.gov.br/aguas-interiores/wp-content/uploads/sites/12/2017/11/Ap%C3%AAndice-E-Significado-Ambiental-e-Sanit%C3%A1rio-das-Vari%C3%A1veis-de-Qualidade-2016.pdf>. Acessado em outubro/2019. 2019.

COELHO, D. A.; SILVA, A. R. S. S.; CASTRO, T. O.; SANTOS, R. C. G.; PASSOS, A. S. Análise da alcalinidade total e concentração de carbono inorgânico em trechos urbanos de rios: o exemplo do rio Santa Rita, região sudoeste da Bahia. Anais do VI Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, 2015.

COELHO, S. C.; DUARTE, A. N.; AMARAL, L. S.; SANTOS, P. M.; SALLES, M. J.; SANTOS, J. A. A.; SOTERO-MARTINS, A. Monitoramento da água de poços como estratégia de avaliação sanitária em Comunidade Rural na Cidade de São Luís, MA, Brasil. Rev. Ambient. Água, Taubaté , v. 12, n. 1, p. 156-167, 2017.

DALMAGRO, H. J.; MUNHOZ, K. C. A.; LAMY. R.; FÁTIMA, M. F.; SALIMON, C. I.; KRUSCHE, A. V.; AKEMI, U. C.; DUARTE, K. U.; GOMES. A. L.; SANTOS. V. A.; SANCHES, L.; SOUZA, N. Dinâmica do carbono inorgânico nos rios Teles Pires e Cristalino na Bacia Amazônica. Ciência e Natura, vol. 29, p. 115-127, 2007.

ESTEVES, F. A. Fundamentos de Limnologia. 2 ed. Rio de Janeiro: Interciência, 1998.

FELIX, R.W. Fluxos de metano e dióxido de carbono em lagoas costeiras húmicas: uma abordagem espaço-temporal. 2014. 127 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) Universidade Federal do Rio de Janeiro. Macaé.

FRANCHINI, C.; GOMES, G. Avaliação do fluxo hidrológico dos rios Lajeado Bonito e Limeira comparando atividades urbanas e rurais sobre a qualidade da água. Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 13, n. 1, 2017.

FONTANA, A. C. D.; PEREIRA, I. A.; NETO, A. R. P.; OLIVEIRA, D. F.; NASCIMENTO, M. M.; SANTOS, A. G. Investigação de indicativos da qualidade da água em trechos dos rios urbanos Lucaia e Jaguaribe em Salvador, Bahia, Brasil. Revista de Gestão de Água da América Latina, v. 16, n. 8, 2019.

GUIMARÃES, J.R. Determinação e especiação de carbono inorgânico em águas naturais e atmosfera por análise em fluxo. 1995. 114 f. Tese (Doutorado em Química) Universidade Estadual de Campinas. Campinas.

MORTATTI, J.; PROBST, J. L.; OLIVEIRA, H.; BIBIAN, J. P. R.; FERNANDES, A. M. Fluxo de carbono inorgânico dissolvido no rio Piracicaba (São Paulo): partição e reações de equilíbrio do sistema carbonato. Geociências, v. 25, n. 4, p. 429-436, 2006.

PIERINI, S. A.; THOMAZ, S. M. Adaptações de plantas submersas á absorção de carbono inorgânico. Acta bot. bras. v. 18, n. 3, p.629-641, 2004.

RIBEIRO, A.R; SANTOS, A.G; NETO, A.R.P; OLIVEIRA, D.F. Estudo diagnóstico de parâmetros físico-químicos e microbiológicos de águas subterrâneas em áreas distritais do município de Catu, recôncavo da Bahia. Exatas Online, v.9, p.25-38, 2018.

RICHEY, J.E.; HEDGES, J.I.; DEVOL, A.H.; QUAY, P.D.; VICTORIA, R.L.; MARTINELLI, L.A.; FORSBERG, B.R. Biogeochemistry of carbon in the Amazon river. Limnology & Oceanography, v. 35, n. 2, p.352-371, 1990.

RICHTTER, C.A; NETTO, A.J.M. Tratamento de água: tecnologia atualizada. São Paulo: Edgard Blücher, 2002.

SALOMONS, W.; MOOK, W.G. Isotope geochemistry of carbonates in the weathering. Handbook of environmental isotope geochemistry. Ed. Elsevier, v. 2, p. 239-269, 1986.

SOARES, A. S. S.; DOURADO, A. A.; SILVA, A. R. S.; TORRES, F. S. Determinação de carbono inorgânico em águas naturais da represa de luíz vieira do município de Rio de Contas – Bahia. Anais do XIII Congresso Nacional de Meio Ambiente de Poços de Caldas, 2016.

SOUSA, E.S. Fluxo evasivo de CO2 em ambientes fluviais no sudoeste da Amazônia, Acre, Brasil. 2013. 156 f. Tese (Doutorado em Ciências) Universidade de São Paulo. Piracicaba.

SOUZA R. S.; MOTTA MARQUES, D. M. L.; FRAGOSO JR, C. Modelagem ecológica na avaliação de processos e fluxos da dinâmica do carbono em lagos e reservatórios. Anais do Congresso Brasileiro de Limnologia, Natal, 2011.

SORRIBAS, M. V.; COLLISCHONN, W.; MARQUES, D. M.; JUNIOR, C. R. F.; CASTRO, N. M. R.; SOUZA, R. S. Modelagem distribuída de carbono em bacias hidrográficas. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, V. 17, n. 3, p. 225-240, Jul/Set, 2012.

Downloads

Publicado

2020-12-16

Edição

Seção

ARTIGOS