Uso de pomada à base de Tinhorão (Caladium bicolor)

RSCS Leitão, JF Silva Neto, FLP Fukahori, MSA Rêgo, MBMC Dias, VCL Silva, MAQB Ferreira, CJFL Silva, ES Franco, GC Jimenez, DMB Souza, ERL Lima

Resumo


 

Objetivou-se avaliar o percentual de regressão de feridas cutâneas experimentais em camundongos (Mus musculus), albinos suíços, tratados com pomada à base de extrato bruto hidroalcoólico de Caladium bicolor, durante oito dias. Parâmetros como taxas de variação temporal de regressão das lesões foram considerados nos diferentes grupos. Foram formados três grupos de animais, com oito animais cada, que após procedimento cirúrgico para produção de feridas cutâneas, passaram a receber tratamento diário com pomada à base de Caladium bicolor (Grupo GCB), Alantol® (Grupo GAL) ou solução salina a 0,9% (Grupo GC - controle). Bioensaios também foram realizados na intenção de se avaliar os impactos do extrato de Caladium bicolor sobre a resposta pró-inflamatória em modelo de implante de cróton subcutâneo embebidos em frações do extrato. Verificou-se que o Grupo GCB, apresentou um maior percentual de regressão das lesões cutâneas em relação ao grupo controle, embora as taxas de evolução do processo cicatricial tenham sido similares aos do Grupo GAL. Verificou-se também que o extrato desse tipo de tubérculo afetou a resposta pró-inflamatória em modelo de implante de algodão subcutâneo, afetando o processo de encapsulamento de corpo estranho. Desta forma, a pomada de Caladium bicolor tem potencial para ser utilizada como uma alternativa no tratamento de feridas.


Palavras-chave


extrato, cicatrização, lesão cutânea, derme, plantas medicinais

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, I.M. Plantas tóxicas do jardim e do campo. Belém: Boletim da Faculdade de Ciências Agrárias, 1980. 120p.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC 14 DE 31 de março de 2010. Dispõe sobre o registro de medicamentos fitoterápicos.

CUNHA, M.C. História dos índios no Brasil. São Paulo: Companhia de Letras, 2009. 609p.

FUNARI, C.S.; FERRO, V.O. Uso ético da biodiversidade brasileira: necessidade e oportunidade. Revista brasileira de Farmacognosia, v. 15, n. 2, p. 178-182, 2005.

LORENZI, H.; MATOS, F.J.A. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. 2. ed. Nova Odessa: Plantarum, 2008.

RODRIGUES, R. M. A flora amazônica. Belém, CEJUP, 1989. 462p.

SALAKO, O.A. et al. Antidiarrheal activity of aqueous leaf extract of Caladium bicolor (Araceae) and its possible mechanisms of action. Journal of Ethnopharmacology, v. 176, n. 24, p. 225-231, 2015.

SWINGLE, K.F.; SHIDEMAN, F.E. Phases of the inflammatory response to subcutaneous implantation of a cotton pellet and their modification by certain anti-inflammatory agents. Journal of Pharmacology and Experimental Therapeutics, v. 183, n. 1, p.226-234, 1972.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
 
 
Medicina Veterinária (UFRPE)
Universidade Federal Rural de Pernambuco
Departamento de Medicina Veterinária
Rua Dom Manoel de Medeiros, s/n
Dois Irmãos, Recife, Pernambuco
CEP: 52171-900. Brasil.
+55 (081) 3320-6401