Surto de raiva em morcegos frugívoros no município de Niterói, RJ, 2018

Autores

  • Flavio Fernando Batista Moutinho UFF e Centro de Controle de Zoonoses de Niterói - RJ
  • Viviane Moura Azevedo Nunes CCZ NITERÓI - RJ
  • Paulo Mafra Fernandes CCZ NITERÓI - RJ
  • Fábio Villas Boas Borges CCZ NITERÓI - RJ
  • Francisco de Faria Neto DEVIC NIterói - RJ

DOI:

https://doi.org/10.26605/medvet-v14n4-2661

Palavras-chave:

Chiroptera, vigilância em saúde, zoonose

Resumo

A raiva é uma doença viral gravíssima que pode afetar todos os mamíferos. Trata-se de um estudo exploratório descritivo documental desenvolvido a partir dos dados do Centro de Controle de Zoonoses do município de Niterói, RJ.  No mês de julho de 2018 ocorreram três casos de raiva em morcegos, diagnosticados por imunofluorescência direta e inoculação em camundongos, todos envolvendo Artibeus sp. e localizados numa pequena área do bairro São Francisco. O Centro de Controle de Zoonoses desenvolveu uma série de ações visando impedir a transmissão da doença para humanos e outras espécies de animais. Os resultados sugerem um possível surto de raiva em morcegos no bairro São Francisco, em julho de 2018. A ocorrência de um evento desse em um bairro da área urbana de uma metrópole pode ser considerado um fator preocupante pela possibilidade de ocorrência de casos da doença em humanos ou animais domésticos, principalmente tendo em vista a existência dos demais fatores condicionantes e determinantes da ocorrência da enfermidade encontrados no município. Nesse sentido, esforços devem ser envidados pelo poder público no sentido de eliminar ou mitigar tais fatores, visando salvaguardar a saúde da população.

Referências

Acha, P.N.; Szyfres, B. Zoonosis y enfermedades transmisibles comunes al hombre y a los animales. 3rd ed. Washington: OPAS, 2003. 413p.

Albas, A.; Souza, E.A.N.; Picolo, M.R.; Favoretto, S.R.; Gama, A.R.; Sodré, M.M. Os morcegos e a raiva na região oeste do Estado de São Paulo. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 44(2): 201-205, 2011.

Bernardes Filho, F.; Martins, G.; Luchi, G.S.; Kac, B.K.; Nery, J.A.C.; Azulay-Abulafia, L.; Azulay, D.R. Multiple lesions by vampire bat bites in a patient in Niterói, Brazil - Case report. Anais Brasileiro de Dermatologia, 89(2): 340-343, 2014.

Bianconi, G.V.; Mikich, S.B.; Pedro, W.A. Movements of bats (Mammalia, Chiroptera) in Atlantic Forest remnants in Southern Brazil. Revista Brasileira de Zoologia, 23(4): 1199-1206, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Morcegos em áreas urbanas e rurais: manual de manejo e controle. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 1988. 117p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Controle da raiva dos herbívoros: manual técnico. Brasília: MAPA, 2009. 124p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Nota técnica nº 19/2012-CGTD/DEVEP/SVS/MS: Diretrizes da vigilância em saúde para atuação diante de casos de raiva em morcegos em áreas urbanas. 2012. Disponível em: <http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/nota_tecnica_19_raiva.pdf>. Acesso em: 27 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Guia de vigilância em saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2016. 773p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Situação epidemiológica: raiva 2018. Disponível em: <http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/raiva/situacao-epidemiologica>. Acesso em: 20 jan. 2019.

Brusco, A.R.; Tozato, H.C. Frugivoria na dieta de Artibeus lituratus Olfers, 1818 (Chiroptera, Phyllostomidae) no Parque do Ingá, Maringá / PR. Revista F@pciência, 3(2): 19-29, 2009.

Cabral, C.C.; Morais, A.C.N.; Dias, A.V.A.B.; Araújo, M.G.; Moreira, W.C.; Mattos, G.L.M. Circulation of the rabies virus in non-hematophagous bats in the City of Rio de Janeiro, Brazil, during 2001-2010. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 45(2): 180-183, 2012.

Costa, L.M.; Esbérard, C.E.L. Desmodus rotundus (Mammalia: Chiroptera) on the Southern Coast of Rio de Janeiro state, Brazil, Brazilian Journal of Biology, 71(3): 739-746, 2011.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Censo de 2010. Disponível em: <https://censo2010.ibge.gov.br/sinopseporsetores/?nivel=st/16>. Acesso em: 20 jan. 2019.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Panorama: Niterói. 2019. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/niteroi/panorama>. Acesso em: 23 jan. 2019.

Kobayashi, Y.; Sato, G; Shoji, Y.; Sato, T.; Itou, T.; Cunha, E.M.; Samara, S.I.; Carvalho, A.A.; Nociti, D.P.; Ito, F.H.; Sakai, T. Molecular epidemiological analysis of bat rabies viruses in Brazil. The Journal of Veterinary Medical Science, 67: 647-652, 2005.

Moutinho, F.F.B.; Nascimento, E.R.; Paixão, R.L. Raiva no Estado do Rio de Janeiro, Brasil: análise das ações de vigilância e controle no âmbito municipal. Ciência & Saúde Coletiva, 20(2): 577-586, 2015.

Moutinho, F.F.B; Correa, D.M.S.; Serra, C.M.B.; Valente, L.C.M.; Borges, F.V.B.; Faria Neto, F. Caracterização dos atendimentos a reclamações sobre morcegos efetuadas ao centro de controle de zoonoses de Niterói, RJ (2014-2015). Hygeia, 14(28): 85-95, 2018a.

Moutinho, F.F.B.; Borges, F.V.B.; Faria Neto, F.; Alves, C.B. Fatores determinantes e condicionantes para a ocorrência de raiva em Niterói, RJ, Brasil. Hygeia, 14(29): 54-64, 2018b.

Niterói. Decreto nº 9.059/2003, de 22 de agosto de 2003. Disponível em: <http://pgm.niteroi.rj.gov.br/legislacao_pmn/2003/DECRETOS/9059_Plano_de_Manejo_da_Area_de_Protecao_Ambiental_do_Morro_da_Viracao.pdf>. Acesso em: 20 jan. 2019.

Niterói. Plano Diretor de Niterói. Lei 1157/1992 alterada pela lei 2123/2004.Disponível em: <http://www.pgm.niteroi.rj.gov.br/leis/lei/Lei_n1157_Plano_Diretor_Alterado_pela_Lei_2123.pdf>. Acesso: 23 jan. 2019.

Oliveira, A.S.S.; Bezerra, F.F.M.; Azevedo, F.R.M.A. Descrição do perfil epidemiológico da raiva no Estado do Rio de Janeiro no período de 1981 a 2007. Revista Rede de Cuidados em Saúde, 4(2): 1-12, 2010.

Oliveira, V.M.R.; Pereira, P.L.L.; Silva, J.A.; Miranda, C.F.J.; Rodrigues, K.O.; Rodrigues, T.O.; Moreira, E.C. Mordedura canina e atendimento antirrábico humano em Minas Gerais. Arquivos Brasileiros de Medicina Veterinária e Zootecnia, 64(4): 891-898, 2012.

Organização Panamericana de Saúde - OPAS; Brasil. Ministério da Saúde. Avaliação do Programa Nacional de Controle da Raiva no Brasil. 2002. Disponível em < https://iris.paho.org/handle/10665.2/41202>. Acesso em: 26 ago. 2019.

Pacheco, S.M.; Sodré, M.; Gama, A.R.; Bredt, A.; Sanches, E.M.C.; Marques, R.V.; Guimarães, M.M.; Bianconi, G.V. Morcegos urbanos: status do conhecimento e plano de ação para a conservação no Brasil. Chiroptera Neotropical, 16(1): 629-647, 2010.

Queiroz, L.H.; Carvalho, C.; Buso, D.S.; Ferrari, C.I.L.; Pedro, W. Perfil epidemiológico da raiva na região Noroeste do Estado de São Paulo no período de 1993 a 2007. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 42(1): 9-14, 2009.

Shoji, Y.; Kobayashi, Y.; Sato, G.; Itou, T.; Miura, Y.; Mikami, T.; Cunha, E.M.; Samara, S.I.; Carvalho, A.A.; Nocitti, D.P.; Ito, F.H.; Kurane, I.; Sakai, T. Genetic characterization of rabies viruses isolated from frugivorous bat (Artibeus spp.) in Brazil. The Journal of Veterinary Medical Science, 66(10): 1271-1273, 2004.

Maia-Silva, C.; Silva, C.I.; Hrncir, M.; Queiroz, R.T.; Imperatriz-Fonseca, V.L. Guia de plantas visitadas por abelhas na Caatinga. Fortaleza: Fundação Brasil Cidadão, 2012. 98p.

Siqueira, A.C.; Ribeiro, E.A. Aguiar, M.V.P.; Souza, R.F.; Novaes, R.L.M.; Barros, A.A.M.; Pontes, J.A.L. Diversidade de quirópteros em inselberg da Mata Atlântica no sudeste brasileiro: Morro das Andorinhas, Niterói (RJ). In: Santos, S.M.G. (Org.). Biodiversidade e sociedade no Leste Metropolitano do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UERJ, 2016. p.69-94.

Siqueira, J.C. Dispersão de espécies nativas na arborização urbana. Pesquisa Botânica, 70: 187-195, 2017.

Sodré, M.M.; Gama, A.R.; Almeida, M.F. Updated list of bat species positive for rabies in Brazil. Revista do Instituto de Medicina Tropical, 52(2): 75-81, 2010.

Uieda, W.; Harmani, N.M.S.; Silva, M.M.S. Raiva em morcegos insetívoros (Molossidae) do Sudeste do Brasil. Revista de Saúde Pública, 29(5): 292-297, 1995.

Van Der Pijl, L. Principles of dispersal in higher plants. 2nd ed. New York: Springer-Verlag, 1972. 162p.

Vieira, A.M.L. (Org.). Programa de controle de cães e gatos do Estado de São Paulo. São Paulo: Secretaria de Estado de Saúde, 2006. 165 p.

Zortéa, M. Subfamília Stenodermatinae. In: Reis, N.R. (Org). Morcegos do Brasil. Londrina: Nélio R. dos Reis, 2007. p.107-128.

Downloads

Publicado

2020-11-26

Edição

Seção

Medicina Veterinária Preventiva