ENCONTRO DE SABERES EM UM PROJETO DE EXTENSÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DA UFRPE

Autores

Palavras-chave:

Ensino de Sociologia, Educação não-formal, Ciência, Senso comum

Resumo

Através da observação participante, de entrevistas semiestruturadas e da experiência como bolsista, o artigo constata que a prática extensionista analisada, em um espaço de educação não-formal, possibilitou o encontro entre saber científico e saber popular, através do diálogo entre a disciplina de sociologia e o senso comum, criando um cenário popular de ensino de sociologia.

Biografia do Autor

Célia Oliveira dos Santos Neta, Universidade Federal de Pernambuco

Bacharela em Ciências Sociais pela UFRPE, estudante de mestrado em Sociologia na UFPE.

Referências

BENZAQUEN, Júlia F. Universidades dos Movimentos Sociais: apostas em saberes, práticas e sujeitos descoloniais. 2012. Tese de Doutorado, Coimbra. Disponível in: http://hdl. handle.net/10316/18904. Acesso em: 24 de maio de 2016, 18:23.

DURKHEIM, Émile. A Educação - sua Natureza e Função. In: Educação e Sociologia. 4°ed. Edições melhoramentos, 1955, p. 25-44.

FERNANDES, Florestan. O ensino de Sociologia na escola secundária brasileira. Primeiro dossiê de ciências sociais. São Paulo, Ceupes-USP/CACS-PUC. 1985.

FREIRE, Paulo. A concepção <> da educação como instrumento da opressão. Seus pressupostos, sua crítica. In: Pedagogia do oprimido, 17. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987, p. 57-75.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 53° ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

LAGE, Allene. Orientações epistemológicas para a pesquisa qualitativa em educação e movimentos sociais.IV Colóquio internacional de políticas e práticas curriculares. João Pessoa, 2009. p. 1-21.

MARQUES, Joana Brás Varanda; FREITAS, Denise. Fatores de caracterização da educação não-formal: uma revisão da literatura. São Paulo: Educ. Pesqui. 2017. p.1087-1110.

MORAES, Amaury César. Desafios para a implementação do Ensino de Sociologia na escola média brasileira. São Paulo: Cadernos do NUPPS- Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas da Universidade de São Paulo. 2010, p. 1-10.

OLIVEIRA, Amurabi Pereira de. O Ensino de Sociologia na educação básica brasileira: uma análise da produção do GT Ensino de Sociologia na SBS.Teoria e Cultura:Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais– UFJF, v. 11 n. 1 jan/junh. 2016, 14p.

OLIVEIRA, Amurabi Pereira de. Sentidos e Dilemas do Ensino de Sociologia: Um olhar Sociológico.Interlegere, nº 09- 2011, p. 25-39.

OLIVEIRA, Amurabi Pereira de. O Ensino de Sociologia na educação básica brasileira: uma análise da produção do GT Ensino de Sociologia na SBS. Teoria e Cultura: Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais– UFJF, v. 11 n. 1 jan/junh. 2016- ISSN:1809-5968.14p.

PEREIRA, Thiago Ingrassia. Ensino de Sociologia e educação popular: problematizando a escola pública. Natal: Inter-Legere (UFRN). 2016. p. 133-149.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006, p. 122-129.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. Revista Crítica de Ciências Sociais, 63, outubro, 2002, p. 237-280.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. 7. Ed. R. Costa Cabral, 859, Porto: Edição Afrontamento, 1995.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula.G.; NUNES. João Arriscado. ntrodução:

para ampliar o cânone da ciência: a diversidade epistemológica do mundo. In: (org.). Semear outras soluções: os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais. Porto: Afrontamento, 2004, p. 19 a 101.

SCHMIDT, Maria Luisa Sandoval (2006). Pesquisa participante: alteridade e comunidades interpretativas. Psicol. USP, São Paulov. 17, n. 2, p. 11-41.

SILVA, Tomaz Tadeu da.Documentos de Identidade: uma Introdução às Teorias de Currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

SIMSON, Olga Rodrigues de Moraes von. Introdução. In: Educação não-formal: cenários de criação. Campinas, SP: Editora da Unicamp- Centro de Memória, 2001.

STRECK, Danilo R. Territórios de resistência e criatividade: reflexões sobre os lugares da educação popular. In: STRECK, Danilo; ESTEBAN, Maria. Educação Popular: lugar de construção social coletiva. Petrópolis: Vozes, 2013, p. 356- 368.

VALENÇA, Marcos M. Ecologia de saberes e justiça cognitiva: o movimento dos trabalhadores rurais sem-terra (MST) e a universidade pública brasileira: um caso de tradução? 2014. Tese de Doutorado, Coimbra. p. 1-37. Website: Trapeiros de Emaús Recife, Disponível em: http://www.emausrecife.org/Acesso em: 26 de setembro de 2016.

Downloads

Publicado

2020-12-21