Uso da água e destinação de resíduos sólidos domiciliares no meio rural

Aline Cristina Ferreira Nunes, Alexsandro Bezerra Correia Bilar, Rejane Magalhães de Mendonça Pimentel

Resumo


O uso racional da água e a correta destinação de resíduos sólidos domiciliares são ações sustentáveis, benéficas ao meio ambiente. No meio rural do semiárido nordestino, a pouca água existente deve ser tratada com enorme zelo e consciência; a educação ambiental possui um papel importante nesse processo. Realizou-se uma pesquisa exploratório-descritiva com estudantes rurais do ensino fundamental com o intuito de averiguar como suas famílias utilizam a água e que destino é dado aos resíduos sólidos gerados diariamente. Verificou-se que a água consumida pelos estudantes e seus familiares é armazenada em poços e cisternas, e parte é utilizada na agricultura e pecuária. Constatou-se desperdício no uso dessa água e que os resíduos sólidos domiciliares dos moradores de sítios são queimados ou enterrados. Existe deficiência nas práticas pedagógicas de educação ambiental adotadas pela escola estudada.

Palavras-chave


Consciência ambiental, meio ambiente, sustentabilidade.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


BOTTO, M. P.; MOTA, F. S. B.; CEBALLOS, B. S. O. 2009. Efeito da oxigenação por agitação manual da água na eficiência de inativação de coliformes termotolerantes utilizando luz solar para desinfecção em batelada. Engenharia Sanitária e Ambiental, v.14, n.3, p. 347-352.

BRASIL. 1999. Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9795.htm. Acesso em: 10 ago. 2014.

______. 2002. Decreto n° 4.281, de 25 de junho de 2002. Regulamenta a Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999, que institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4281.htm. Acesso em: 11 ago. 2014.

______. 2010. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 10 ago. 2014.

______. Câmara dos Deputados. Projeto de lei n°2.289, de 07 de julho de 2015. Prorroga o prazo para a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos de que trata o art. 54 da Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Disponível em: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=1555331. Acesso em: 21 mar. 2017.

______. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. 2012. Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf . Acesso em: 11 ago. 2014.

BRASILEIRO, E. O.; DIAS, R. 2013. Parceria entre Parques Urbanos e Escolas: Estratégia de Ensino/Aprendizagem na Educação Ambiental Formal. Revista Brasileira de Educação e Cultura, n. 7, p.55-72.

CIRILO, J. A.; GÓES, V. C.; ASFORA, M. C. 2007. Integração das águas superficiais e subterrâneas. In: CIRILO, J. A., CABRAL, J. J. S. P., FERREIRA, J. P. L., OLIVEIRA, M. J. P. M., LEITÃO, T. E., MONTENEGRO, S. M. G. L.; GÓES, V. C. (org.). O uso sustentável dos recursos hídricos em regiões semiáridas. ABRH, Editora Universitária da Universidade Federal de Pernambuco. p. 167-175.

CRESWELL, J. W. 2007. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed.

FREITAS, I. M.; BOHRER, C. B. A.; HORA, A. F.; CEDDIA, M. B.; SIQUEIRA, G. M.; GUEDES FILHO, O. 2012. Propriedades físico-hídricas de uma barragem subterrânea no estado do Rio de Janeiro. Revista de Ciência da Vida, v. 32, n. 1, p. 93-105.

GIL, A. C. 2007. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

______. 2009. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Cidades. Disponível em http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=261360. Acesso em: 11 ago. 2014.

LIMA, A. E. F.; SILVA, D. R.; SAMPAIO, J. L. F. 2011. As tecnologias sociais como estratégia de convivência com a escassez de água no Semiárido Cearense. Conexões Ciência e Tecnologia, v. 5, n. 3, p. 9-21.

LISBOA, S. S.; HELLER, L.; SILVEIRA, R. B. 2013. Desafios do planejamento municipal de saneamento básico em municípios de pequeno porte: a percepção dos gestores. Engenharia Sanitária e Ambiental, v.18, n.4, p. 341-348.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. 2003. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas.

MOURA, M. S. B. 2015. Pluviosidade e evaporação. Árvore do conhecimento bioma Caatinga. Agência Embrapa de Informação e Tecnologia. Disponível: http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/bioma_caatinga/arvore/CONT000g798rt3p02wx5ok0wtedt3nd3c63l.html. Acesso em: 21 maio 2015.

MUCELIN, C. A.; BELLINI, M. 2008. Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ecossistema urbano. Sociedade & Natureza, v. 20, n. 1, p. 111-124.

OLIVEIRA, M. V. C.; CARVALHO, A. R. 2003. Princípios básicos de saneamento do meio. São Paulo: Editora Senac.

REBOUÇAS, A. Águas subterrâneas. 2012. In: REBOUÇAS, A. C.; BRAGA, B.; TUNDISI, J. G. (org.). Águas doces do Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 2. ed. São Paulo: Escrituras, p.119-151.

REIS JÚNIOR, A. M. 2003. A formação do professor e a Educação Ambiental. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, Brasil. 278p.

RIBEIRO, T. F.; LIMA, S. C. 2000. Coleta seletiva de lixo domiciliar - estudo de casos. Caminhos de Geografia, v. 1, n. 2, p. 50-69.

RIBEIRO, J. W.; ROOKE, J. M. S. 2010. Saneamento básico e sua relação com o meio ambiente e a saúde pública. Monografia de Especialização em Análise Ambiental, Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil. 36p.

SANTOS, E. C.; BARRETO, M. L. M. 2014. A representação de crianças e adolescentes sobre conceito e formação dos resíduos sólidos. Revista Brasileira de Economia Doméstica, v. 25, n.1, p. 4-19.

SILVA, M. S. L.; ARAÚJO, A. H. R. C.; FERREIRA, G. B.; CUNHA, T. J. F.; OLIVEIRA NETO, M. B. 2013. Barragem subterrânea: contribuindo para a segurança alimentar e nutricional das famílias do Semiárido Brasileiro. Cadernos de Agroecologia, v. 8, n. 2.




DOI: http://dx.doi.org/10.24221/jeap.2.2.2017.1206.137-143

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Journal of Environmental Analysis and Progress

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.