Tamanho do tubérculo na produção de batata-semente das cultivares Ágata e Asterix em sistema aeropônico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24221/jeap.6.1.2021.3936.044-050

Palavras-chave:

Solanum Tuberosum L., Tubérculos, Aeroponia, índices agronômicos

Resumo

A busca por tubérculos de batata (Solanum tuberosum L.) com maior qualidade genética e livres de doenças tem se intensificado cada vez mais, para isto, formas alternativas de produção tem surgido ao decorrer dos anos, e o sistema aeropônico é um dos que se destacam. Os tamanhos de tubérculo-semente bem como as cultivares podem gerar influência sobre os índices de produção, e assim, este trabalho objetivou avaliar a influência da cultivar e do tamanho do tubérculo nos índices agronômicos da batata-semente. O ensaio foi conduzido no município de Palotina, estado do Paraná, entre os meses de março a junho de 2019, em delineamento inteiramente casualisado, utilizando de esquema fatorial 2 x 2, sendo os fatores, duas cultivares (Ágata e Asterix) e duas classes de tubérculo semente (Tipo I e IV). Foram avaliadas as características de massa média de tubérculos, número de hastes formadas, número de tubérculos produzidos e diâmetro de tubérculos produzidos. Os dados foram submetidos a análise de variância e teste de Tukey a 5% de probabilidade. Os fatores não apresentaram interação estatisticamente significativa. Independentemente do tamanho de tubérculo, a cultivar Ágata apresentou a maior massa e diâmetro de tubérculos, mas menor número de hastes e de tubérculos formados por planta. Quanto ao tamanho de tubérculo utilizado, o tratamento de tipo I evidenciou maiores índices agronômicos, mesmo não apresentando diferença significativa para formação de hastes em função do tamanho de tubérculo.

Biografia do Autor

Luciano Tartaro, Universidade Federal de Santa Catarina

Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal do Paraná, atualmente aluno externo do programa de pós graduação em recursos genéticos vegetais. Trablalha com hidroponia desde 2017. Atualmente membro do Laboratório de Hidroponia da UFSC.

Aline Marchese, Universidade Federal do Paraná

Professora adjunta da Universidade Federal do Paraná, pertencente ao departamento de ciências agrárias. Atualmente ministra disciplinas no âmbito da horticultura, tais como olericultura, plantas ornamentais e silvicultura

Leonardo Ribas Todescatto, Universidade Federal do Paraná

Aluno do curso de Agronomia da Universidade Federal do Paraná

Rosandro Boligon Minuzzi, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor associado da Universidade Federal de Santa Catarina, atuante no departamento de engenharia rural, realizando trabalhos de vinculo climatológico e cultivo sem solo.

Referências

Alvares, C. A.; Stape, J. L.; Sentelhas, P. C.; Moraes, G.; Leonardo, J.; Sparovek, G. 2013. Köppen´s climate classification map for Brazil. Meteorol. Z. 22, 6, 711-728.

Alves, F. M.; Ferreira, M. G.; Nick, C. 2017. A cultura. In: Nick, C.; Borém, A., [eds.]. Batata do plantio a colheita. Viçosa: Editora UFV, pp.9-17.

Bregagnoli, M. 2006. Qualidade e produtividade de cultivares de batata para indústria sob diferentes adubações. Tese de Doutorado, Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Piracicaba, São Paulo, Brasil. 142p.

Calori, A. H.; Factor, T. L.; Feltran, J. C.; Watanabe, E. Y. 2017. Condutividade elétrica da solução nutritiva e densidade de plantas na produção de batata-semente em aeroponia em condições tropicais de cultivo (inverno/primavera). Bragantia, 76, 1, 23-32.

Calori, A. H.; Factor, T. L.; Feltran, J. C.; Purquerio, L. F. V. 2014. Aeroponia pode inovar a produção de minitubérculos de batata no Estado de São Paulo. O Agronômico, 66, 42-51.

Dellai, J.; Bisognin, D. A.; Andriolo, J. L.; Streck, N. A. 2008. Densidade de plantio na produção hidropônica de minitubérculos de batata. Ciênc. Rural, 38, 6, 1534-1539.

Eschembach, V., Kawakami, J.; Umburanas, R. C.; Zaiaoz, I. C. R. O.; Queiroz, L. R. M. 2011. Espaçamento e tamanho de batata-semente na produção de batata cultivar Ágata. Hort. Bras., 29, 2, 2871-2877.

Factor, T. L. 2007. Produção de minitubérculos de batata-semente em sistemas hidropônicos NFT, DFT e aeroponia. Tese de Doutorado, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Jaboticabal, São Paulo, Brasil. 131p.

FAPESP. 2017. Batata em cachos: cultivo aeropônico é alternativa. Disponível em: <https://www.comprerural.com/batata-em-cachos-cultivo-aeroponico-e-alternativa/>. Acesso em: 12 nov. 2019.

Ferreira, D. F. 2011. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciênc. Agrotec., 35, 6, 1039-1042.

Filgueira, F. A. R. 1999. Práticas culturais adequadas em bataticultura. Inf. Agropec., 20, 34-41.

Lopes, C. A; Rossato, M. 2011. Tamanho do tubérculo-semente de batata não interfere na manifestação da murcha bacteriana. Hort. Bras., 29, 2, 250-252.

MAPA. Portaria N° 154 de 23 de Julho de 1987. Normas gerais para certificação de batata-semente. Diário Oficial da União. Brasília – DF, nº 139, 24 Jul. 1987, seção I, pág. 11.804.

Oliveira, R. C. de. 2013. Acúmulo de nutrientes, produtividade e qualidade de batata, cv Asterix, sob diferentes fertilizantes potássicos. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil. 89p.

Piedra, J. A.; Kromann, P.; Otazú, V. 2015. Manual para la Producción de Semilla de Papa usando Aeroponía: Diez años de Experiencias en Colombia, Ecuador y Perú. Quito - Ecuador: Centro Internacional de La Papa, 267p.

Queiroz, L. R. M., Kawakami, J.; Muller, M. M. L.; Umburanas, R. C.; Eschemback, V. 2013. Tamanho de tubérculo-semente e espaçamento na produtividade de batata em condições de campo. Comum. Sci., 4, 3, 308-315.

Ribeiro, G. H. M. R., Samartini, C. Q., Silva, L. F. L. e, Vieira, S. D., Resende, L. V. 2017. Cultivares. In: Nick, C., Borém, A., [eds.]. Batata do plantio a colheita. Viçosa: Editora UFV, pp. 77-93.

Silva, E. C. 2017. Implantação da Cultura. In: Nick, C.; Borém, A., [eds.]. Batata do plantio a colheita. Viçosa: Editora UFV, pp. 36-50.

Silva, E. C.; Giusto, A. B.; Dias, J. A. C S. 2006. Produção de minitubérculos a partir de brotos de batata em diferentes combinações de substratos. Hort. Bras., 24, 2, 241-244.

Silva, G. O., Bortoletto, A. C.; Ponijaleki, R. S.; Mogor, A. F.; Pereira, A da S. 2014. Desempenho de cultivares nacionais de batata para produtividade de tubérculos. Ceres, 61, 5, 752-756.

Silva, G. O. 2019. Árvore do conhecimento: Batata. Disponível em: <https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/batata/arvore/CONT000gnc4knh602wx5ok0edacxlkquiqoq.html#>. Acesso em: 12 nov. 2019.

Teixeira, A. L., Silva, C. A.; Peixouto, L. S.; Lepre, A. L.. 2010. Eficiência na emergência e produtividade dos diferentes tipos de batata-semente. Sci. Agrar., 11, 3, 215-220.

Publicado

2021-02-15