Antropologia em tempos incertos: viver no Antropoceno

Autores

  • Fernando Firmo Luciano Universidade Federal de Viçosa

Palavras-chave:

Antropologia, Antropoceno, Crise Climática

Resumo

Este artigo analisa a partir de dados diversos, literatura científica, previsões climatológicas, filmes documentários, jornais, os efeitos de vivermos no antropoceno na Antropologia. O questionamento seguido refere-se a primazia que demos a uma única espécie na história das ciências sociais, os humanos, para justificar ideais de progresso e/ou desenvolvimento. Talvez, seja o tempo de repensar tais pressupostos como forma de proteger, inclusive, nossas histórias, culturas e identidades.

Biografia do Autor

Fernando Firmo Luciano, Universidade Federal de Viçosa

Professor Adjunto, Departamento de Ciências Sociais, UFV

Referências

CHAKRABARTY, Dipesh. Clima y historia. Cuatro tesis. Pasajes: Revista de pensamiento contemporáneo, v.01, n. 31, p. 51-69, 2009.

DANOWSKI, Déborah; VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Há mundo por vir? Ensaio sobre os medos e os fins. Rio de Janeiro: ISA e Cultura e Barbárie, 2016.

DE LA CADENA, Marisol. Natureza incomum: histórias do antropo-cego. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, v.01, n. 69, p.95-117, 2018.

HARAWAY, Dona. Antropoceno, capitaloceno, plantacionoceno, chthuluceno: generando relaciones de parentesco. Revista Latino-americana de Estudos Críticos Animais, v.01, p.1-12, 2016.

HOLMGREN, David e MOLLISON, Bill. Permaculture one: a perennial agricultural system for human settlements, 1979.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à Teoria do Ator-Rede. Salvador: EDUFBA, 2012.

LATOUR, Bruno. Para distinguir amigos e inimigos no tempo do Antropoceno. Revista de Antropologia, São Paulo, USP, n.01, v.57, p.11-31, 2014.

LATOUR, Bruno. Cara a cara con el planeta: Una nueva mirada sobre el cambio climático alejada de las posiciones apocalípticas. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores, 2017.

LATOUR, Bruno. Cogitamus. Seis cartas sobre as humanidades científicas. Editora 34, 2016.

RIAL, Carmen (org.). O poder do lixo: abordagens antropológicas dos resíduos sólidos. Rio de Janeiro: ABA, 2016.

STENGERS, Isabelle. No tempo das catástrofes. Resistir a barbárie que se aproxima. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Desenvolvimento econômico e reenvolvimento cosmopolítico: da necessidade extensiva à suficiência intensiva. Sopro, Rio de Janeiro, n.51, p.03-10, maio, 2011

Downloads

Publicado

2020-07-03