LITERACIA E PRODUÇÃO DE TEXTOS EM CONTEXTO ACADÊMICO: APONTAMENTOS SOBRE DIALOGICIDADE E AUTORIA

Autores

Palavras-chave:

Autoria, Ensino Superior, Texto, Dialogismo.

Resumo

A esfera acadêmica, seus tipos de enunciados e o fazer científico nem sempre incentivam uma tomada de posição autoral por parte dos educandos, embora tal propósito seja agenda de todo Ensino Superior. Tendo como base a epistemologia bakhtiniana, o presente artigo revisiona e investiga a categoria de “autoria” no contexto acadêmico, problematizando, a partir da ideia de literacia e multiletramento, a forma com a qual os textos são explorados em aula. Em consonância com a filosofia dialógica da linguagem de Bakhtin e Círculo, argumentamos que a vivência de textos deve aliar-se a um projeto de devir autoral, sem o qual o fazer científico não se desenvolve. Delineamos, com isso, um deslocamento pedagógico da teoria bakhtiniana para o contexto de ensino superior.  

Biografia do Autor

Eduardo da Silva Moll, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), onde é mestrando em Letras, na área de concentração em Linguística (CNPq).

Licenciado em Letras Português/Inglês pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Mestrando em Letras - Linguística pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS - CNPq).

Kelli Machado da Rosa, Professora Adjunta na Universidade Federal do Rio Grande (FURG);

Doutora em Letras, na área de concentração em linguística, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS- CNPq). Possui Mestrado em Letras, na área de concentração em linguística, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS - CAPES). É graduada em Letras pela Universidade Federal de Rio Grande (FURG) e possui ainda Especialização em Linguística e Ensino de Português também pela FURG.

Referências

BAGNO, M. A inevitável travessia: da prescrição gramatical à educação linguística. In: ______. Língua materna: letramento, variação e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2002.

BAKHTIN, M. M. (VOLOCHINOV, V. N.) Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. (1929). Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 16. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

BAKHTIN, M. M. Teoria do romance I: A estilística. São Paulo: Editora 34, 2015.

BAKHTIN, M. M. Os gêneros do discurso. In: ______. Os gêneros do discurso. São Paulo: Editora 34, 2016a.

BAKHTIN, M. M. O texto na linguística, na filologia e em outras ciências humanas. In: ______. Os gêneros do discurso. São Paulo: Editora 34, 2016b.

BAKHTIN, M. M. Diálogo I. A questão do discurso dialógico. In: ______. Os gêneros do discurso. São Paulo: Editora 34, 2016c.

BAKHTIN, M. M. Diálogo II. In: ______. Os gêneros do discurso. São Paulo: Editora 34, 2016d.

BAKHTIN, M. M. Para uma filosofia do Ato Responsável. Trad. Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2017a.

BAKHTIN, M. M. Por uma metodologia das ciências humanas. In: ______. Notas sobre literatura, cultura e ciências humanas. São Paulo: Editora 34, 2017b.

BARCA, I. Literacia e consciência histórica. Educar em revista. Curitiba, v. 22, n. Especial, 2006. Editora UFPR. Disponível em: < https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/5545>

FIORIN, J. L. Introdução ao pensamento de Bakhtin. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2016.

MEDVIÉDEV, P. N. O método formal nos estudos literários: introdução crítica a uma poética sociológica. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Américo. São Paulo: Contexto, 2012.

ROJO, R. Pedagogia dos multiletramentos. In: ROJO, R.; MOURA, E. (orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012, p. 11-31.

SOUSA, L. D. Letramento e multiletramento. Revista e-scrita. v. 10, n. 2, 2016. Disponível em: < https://revista.uniabeu.edu.br/index.php/RE/article/view/3696>

Downloads

Publicado

2020-12-29