ENVIRONMENTAL DEGRADATION AND RISK OF DESERTIFICATION IN ALTO SERTÃO REGION, ALAGOAS STATE, BRAZIL

João Paulo de Oliveira Santos, José Marcelino da Silva Júnior, José Adalberto da Silva Filho, José Luiz Carneiro da Silva, José Kennedy do Nascimento Ribeiro, Francisco Ítalo Fernandes de Oliveira

Resumo


In this research, the authors evaluated the degree of degradation of the Caatinga biome in Sertão do São Francisco Microregion, Alagoas State, Brazil, by the association of these results with the aridity. We obtained a panorama of the desertification propensity in this area. From the aridity index (IA), the region was classified as having a semi-arid condition (0.2 ≤ IA <0.5). It was observed values of IA less than 0.50, characterizing an environment with high propensity to establish the state of desertification. From the collected data, we realized the state of degradation of the municipalities in study, all with percentage of anthropic areas greater than 60%. The municipality of Piranhas deserves highlight by the analysis of temporal evolution of the anthropized Caatinga area, with an increase of 44, 661 km² between 2002 and 2009, corresponding to an increase of 17.8% in only seven years. It leads to a scenario where 74.21% of the original Caatinga is in an anthropized state. The critical values of the aridity index, associated to high degree of anthropization may lead to the establishment of desertification process in the study area.

Palavras-chave


Caatinga; Aridity index; Use and occupation of the soil

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, H.A., AGUIAR, D.B., SILVA, J.N., DAMASCENO, J. Indicadores Hídricos do Núcleo de Desertificação da Microrregião do Seridó Ocidental da Paraíba. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 7, p. 784-797, 2014.

ANDRADE, A. P. de et al. Produção animal no bioma caatinga: paradigmas dos pulsos-reserva. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 35, p. 110-124, 2006.

AQUINO, C. M. S.; ALMEIDA, O. J.G. B. Estudo da cobertura vegetal/uso da terra nos anos de 1987 e 2007 no núcleo de degradação/desertificação de São Raimundo Nonato - Piauí. Ra'e ga, v. 25, p. 252-278, 2012.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. 2017. Caatinga. Disponível em: http://www.mma.gov.br/biomas/caatinga. Acesso em: 02 de julho de 2017.

CAMPOS, S. A. C.; FERREIRA, M. D. P.; COELHO, A. B.; LIMA, J. E. Degradação ambiental agropecuária no bioma Caatinga. Revista Econômica do Nordeste, v. 46, p. 155-170, 2015.

COSTA, A. R. S.; FERREIRA, G. L.; SOUZA E. B.; ROLIM NETO, F. C. Desertification in semi-arid northeast of Brazil. Revista Geama, v.7, p. 57-65, 2016b.

COSTA, T. C. C.; OLIVEIRA, M. A. J.; ACCIOLY, L. J. O. & SILVA, F. H. B. B. Análise da degradação da caatinga no núcleo de desertificação do Seridó (RN/PB). Revista Brasileira de Engenharia Agrícola Ambiental, v.13 (Suplemento), p. 961-974, 2009.

CPRM - Serviço Geológico do Brasil Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea. Diagnóstico do município de Delmiro Gouveia, estado de Alagoas. CPRM/PRODEEM, Recife, 2005. 12 p.

DCA-Departamento de Ciências Atmosféricas. Dados climatológicos do Estado de Alagoas: Campina Grande: UFCG-CTRN, 2017. Disponível em: . Acesso em 08 de julho de 2017.

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Diagnóstico Ambiental do Município de Delmiro Gouveia - Estado de Alagoas. Circular Técnica, Rio de Janeiro, 2002. 19 p.

FRANCISCO, P. R. M.; MEDEIROS, R. M. DE; MATOS, R. M.; BANDEIRA, M. M.; SANTOS, D. Análise e Mapeamento dos Índices de Umidade, Hídrico e Aridez através do BHC para o Estado da Paraíba. Revista Brasileira de Geografia Física, v.8, p. 1093-1108, 2015.

FREIRE, N. C; PACHÊCO, A. P. Desertificação: Análise e Mapeamento. 1. ed. Recife: ED. Universitária da UFPE, 2011. v. 1. 93p.

FREITAS, M. A. S. Um Sistema de Suporte à Decisão para o Monitoramento de Secas Meteorológicas em Regiões Semi-Áridas. Revista Tecnologia, v. Suplem, p. 84-95, 2005.

GALINDO, I. C. L. et al. Relações solo-vegetação em áreas sob processo de desertificação no município de Jataúba, PE. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 32, p. 1283-1296, 2008.

GOIS, G.; SOUZA, J. L.; SILVA, P. R. T.; OLIVEIRA JÚNIOR, J. F. Caracterização da Desertificação no Estado de Alagoas Utilizando Variáveis Climáticas. Revista Brasileira de Meteorologia, v.20, p. 301-314, 2005.

GOMES, D. F. Socioeconomic indicators associated with the desertification process in “Microrregião do Sertão” of Pernambuco state, Brazil. Revista Geama, v.9, p. 27-31, 2017.

IBAMA- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Monitoramento do bioma caatinga, 2002-2008. Brasília, 2010.

IBAMA- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Monitoramento do bioma caatinga, 2008-2009. Brasília, 2011.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Brasília, 2010.

JESUS, E. S.; MATTOS, A. Análise Espaço Temporal da Evapotranspiração sobre a Microrregião do Seridó no Estado do Rio Grande do Norte. HOLOS, v. 6, p. 22-32, 2013.

LEMOS, J. J. S. Níveis de degradação no Nordeste brasileiro. Revista Econômica do Nordeste, v. 32, p. 406-429, 2001.

LIMA, I. F. Fundamentos geográficos do meio físico do Estado de Alagoas. Maceió: Série Estudo de Regionalização, v. 3, Maceió, 1977. 93 p.

LIMA, J. R.; CORDEIRO, A. M. N.; BASTOS, F. H. A influência dos aspectos geomorfológicos nas áreas degradadas susceptíveis à desertificação no estado do Ceará, Brasil. Paisagem e Ambiente, n. 38, p. 57-69, 2016.

LOPES, I.; LEAL, B. G. Índice de Aridez e Tendência a Desertificação para Estações Meteorológicas nos Estados da Bahia e Pernambuco. Revista Brasileira de Climatologia, v. 17, p. 155-172, 2015.

MATALLO JUNIOR, H. Indicadores de desertificação: histórico e perspectivas. Brasília: UNESCO, Cadernos UNESCO Brasil. Série Meio Ambiente e Desenvolvimento, 2, 2001.

MEDEIROS, J. A. Introdução da Favela (Cnidoscolus Phyllacanthus) em meio à Caatinga no Núcleo de Desertificação Seridó, na Seca de 2012. OKARA, v.7, p. 241-254, 2013.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Atlas das áreas susceptíveis à desertificação do Brasil/ MMA, Secretaria de Recursos Hídricos. Brasília: MMA, 2007.

NEVES, P. D. M.; SOUZA, M. L. Estrutura fundiária versus degradação da vegetação: municípios Lindeiros do Baixo Curso do Rio Ivaí-PR. Anpege, v. 10, p.57-77, 2014.

RIBEIRO, E. P., MOREIRA, E. B. M., SOARES, D. B., BILAR, A. B. C., LIMA, M. S. Climate change and desertification in the semiarid region of northeastern Brazil. Revista Geama, v.5, p. 17-29. 2016b.

RIBEIRO, G. N. et al. Geotecnologias para o Mapeamento Temático dos Índices de Aridez e Classes de Desertificação na Microrregião de Umbuzeiro-PB. Revista Técnico-Científica do CREA-PR, edição especial, p. 1-15, 2016a.

RIEGELHAUPT, E. M.; PAREYN, F. G. C.; GARIGLIO, M. A. O manejo florestal como ferramenta para o uso sustentável e conservação da caatinga. In: GARIGLIO, M. A.; SAMPAIO, E. V. S.; CESTARO, L. A.; KAGEYAMA, P. Y. (Organizadores). Uso Sustentável e Conservação dos Recursos Florestais da Caatinga. Brasília: Serviço Florestal Brasileiro, 2010.

SANTOS, R. P.; PACHECO, C. S. G. R. A ação antrópica e suas implicações na cobertura vegetal da comunidade rural de Paredão/BA: estudo comparativo de áreas intactas e degradadas. Revista Semiárido De Visu, v. 5, p. 45-51, 2017.

SILVA, D. D. E.; FELIZMINO, F. T. A.; OLIVEIRA, M. G. Avaliação da Degradação Ambiental a Partir da Prática da Cultura do Feijão no Município de Tavares-PB. HOLOS, v. 8, p. 148-165, 2015.

SILVA, G.J. F.; ALMEIDA, N. V. Degradação Ambiental no Município de Parari PB: Uma Análise por Meio de Sensoriamento Remoto. Revista Geografar, v.10, p.140-164, 2015.

SILVA, J. I. A. O. Conservação de recursos naturais no semiárido e desenvolvimento: análise do caso das reservas privadas. Ambiente & Sociedade, v. 16, p. 79-98, 2013.

SIQUEIRA FILHO, J. A. A flora das caatingas do Rio São Francisco: história natural e conservação. Andrea Jakobsson, Rio de Janeiro, 2012, 556 p.

SOUSA, V. R. et al. O Uso do Geoprocessamento para Análise Comparativa no Estado da Paraíba da Área Susceptível e Desertificação com e Área de Atuação do Programa Nacional Proágua. REBEMA, v. 1, p. 52-57, 2016.

UNEP. United Nations Environment Programme. World Atlas of Desertification. Londres: UNEP/Edward Arnold, 1992, 69 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons