Evolução das emissões dos gases automotivos de veículos do ciclo Otto em Recife (Pernambuco)

Autores

  • Alexandre Valença do Nascimento-Silva Docente do Instituto Federal de Pernambuco. Doutorando em Desenvolvimento e Meio Ambiente - PRODEMA - UFPE
  • Werônica Meira de Souza Docente da Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE. Professora do Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA/UFPE)

Palavras-chave:

Poluição Atmosférica, Emissão veicular, Centros Urbanos

Resumo

Nas grandes metrópoles, os veículos automotivos contribuem de forma significativa com a injeção de gases como monóxido de carbono (CO), dióxido de carbono (CO2) e hidrocarbonetos (HC) comprometendo a qualidade do ar atmosférico. Na busca por veículos mais econômicos e com menores níveis de emissão, os fabricantes passaram a investir em tecnologia construindo motores melhores. Este trabalho teve como objetivo avaliar a evolução das emissões dos gases monóxido de carbono (CO), dióxido de carbono (CO2) e hidrocarbonetos, por ano dos veículos movidos a gasolina e etanol. Através da análise de emissão em marcha lenta, os veículos com menos idade e/ou com baixa quilometragem emitem menos hidrocarbonetos com redução de aproximadamente 86,8% para baixa rotação e de 82,4% para alta rotação. O monóxido de carbono apresenta redução de aproximadamente 93,9% para baixa rotação e de 87,2% para alta rotação. Mas o dióxido de carbono apresenta a maior taxa de emissão para com crescimento de aproximadamente 154% para baixa rotação e de 120,3% para alta rotação

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BIAZZI, R. Jornal da Globo. Incentivos fiscais impulsionam recorde de venda de carros em 2012. Disponível em: < g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2013/01/incentivos-fiscais-impulsionam-recorde-de-venda-de-carros-em-2012.html >. 2013. Acesso em: 20 de out. de 2019.

BORSARI, V. Caracterização das Emissões de Gases de Efeito Estufa por Veículos Automotores Leves no Estado de São Paulo. Universidade de São Paulo. São Paulo, 2009.

BRANCO, G. M.; WALSH, M. P. Controle da poluição dos veículos a Diesel. Uma estratégia para o Progresso no Brasil. Fundação Hewlett, Rio de Janeiro. 2005.

CARVALHO. C. H. R. Emissões relativas de poluentes do transporte motorizado de passageiros nos grandes centros urbanos brasileiros. Instituto de pesquisa econômica aplicada, Brasília, 2011.

CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Relatório Anual de Qualidade do Ar no Estado de São Paulo- 2005. São Paulo, SP, 2006.

CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Emissões Veiculares. São Paulo, SP, 2012.

CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Emissões Veiculares. São Paulo, SP, 2018.

DETRAN - PE. Departamento Estadual de Transito de Pernambuco. Disponível em:<http://www.detran.pe.gov.br/>. Acesso em: 20 de novembro de 2018.

HURTADO, D. K.; SOUZA, A. A. A evolução do sistema de injeção de combustível em motores ciclo otto: uma análise crítica desde suas implicações no meio ambiente à regulamentação legal no sistema normativo pátrio. Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM. v.8. 2013. Disponível em:<http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs2.2.2/index.php/revistadireito/article/view/8527#.VHemwzHF8lI>. Acessado em: out. de 2017.

INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. 2017. Disponível em: <http://www.inmetro.gov.br/>. Acessado em: jul. de 2018.

KAMPA, M.; CASTANAS, E. E. Human health effects of air pollution. Environmental Pollution. Volume 151, Issue 2, January 2008, Pages 362-367

KÖPPEN, W. The Climates of NortAmerica.R. Handbuch der Klimatologie. Berlim, 1948.

LACERDA, A.; LEROUX, T.; MORATA, T. Efeitos ototóxicos da exposição ao monóxido de carbono: uma revisão. Pró-Fono Revista de Atualização Científica. Barueri (SP), v. 17, n. 3, p. 403-412, set.-dez. 2005.

LOPES, P. A. Probabilidades e estatísticas. Rio de Janeiro: Reichmann e Afonso Ed., 2001.

MILHOR, C. E. Sistema de desenvolvimento para controle eletrônico dos motores de combustão interna ciclo de Otto. Dissertação de mestrado. São Carlos. 2002.

PRAKASH, J. et al. On-Road Emissions of CO, CO2 and Nox from Four Wheeler and Emission Estimates for Delhi. Journal of Environmental Sciences. Volume 53, Pages 39-47, March 2017

PREFEITURA DA CIDADE DO RECIFE. Disponível em:<http://www2.recife.pe.gov.br/a-cidade/conheca-o-recife/>. 2016. Acesso em: 30 jan. 2018.

SALDIVA, P. H. N.; PEREIRA, L.A.A. E BRAGA, A. Poluição atmosférica e seus efeitos na saúde humana. Faculdade de Medicina da USP. São Paulo, SP, 1995.

SILVEIRA, F.L. Máquinas térmicas à combustão interna de Otto e de Diesel. Porto Alegre: Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2016.

SOUZA, W.M., AZEVEDO, P. V. Avaliação de tendências das temperaturas em Recife-PE: Mudanças climáticas ou variabilidade? Engenharia Ambiental: Pesquisa e Tecnologia, v.6, p.462 - 472, 2009.

SUAPE. Complexo Industrial Portuário Governados Eraldo Gueiros. Disponível em: <http://www.suape.pe.gov.br/news/matLer.php?id=246>. Acessado em jan 2016.

TEIXEIRA, E. C. et al. Estudo das Emissões de Fontes Móveis na Região Metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS, Brasil. Quim. Nova, Vol. 31, No. 2, 2008. p. 244-248.

TELLES, G. R. et al. Estimativa dos efeitos da Poluição Atmosférica sobre a Saúde Humana: algumas possibilidades metodológicas e teóricas para a cidade de São Paulo. Programa de Planejamento de Sistemas Energéticos. 2011.

Downloads

Publicado

2019-09-06

Como Citar

Nascimento-Silva, A. V. do, & Souza, W. M. de. (2019). Evolução das emissões dos gases automotivos de veículos do ciclo Otto em Recife (Pernambuco). Revista Geama, 5(2), 20–29. Recuperado de http://journals.ufrpe.br/index.php/geama/article/view/2543

Edição

Seção

ARTIGOS