Survival of the kingdoms: uma proposta de jogo teatral para o ensino de Química

Autores

Palavras-chave:

Ensino de Química, Jogos Didáticos, Action live

Resumo

Pesquisas em ensino de química orientam que a diversidade na dinâmica dos recursos didáticos para a apresentação dos conteúdos favorece a construção do conhecimento com significado. E justifica tal afirmação no entendimento de que um maior nível de interação com o objeto pedagógico e/ou com seus pares propicia ao aluno se indagar, criar e socializar sentidos e assim construir o saber criticamente. Com esse objetivo propomos nesse trabalho o jogo didático Survival of the Kingdoms um jogo teatral da categoria action live, que permite ao aluno acessar um ambiente que lhe desafiará a criar, investigar, compartilhar saberes, construir e (re)construir conhecimentos, inquietados pelos desafios propostos e apoiados nas reflexões propiciadas por meio da socialização de entendimentos. O Survival of the Kingdoms foi criado por estudantes do curso de Licenciatura em Química e aplicado em uma escola da Rede Estadual no interior do Agreste Pernambucano, a fim de proporcionar aos alunos do Terceiro Ano do Ensino Médio situações didáticas diferenciadas e estimulantes ao aprendizado. Sua jogabilidade consiste em uma perspectiva teatral construída a partir de um enredo medieval, tendo como temática alguns conteúdos de química organizados pelas temáticas: água, fogo, terra e ar, voltados a uma revisão dos conteúdos de química para o vestibular. Como principal resultado da validação do jogo didático observou-se uma maior interação, e engajamento de todos os alunos participantes na tentativa de superar os desafios, além da gradativa aprendizagem dos conteúdos abordados a partir de um processo de significação coletiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Henrique Raimundo, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Caruaru, Pernambuco, Brasil.

Estudante do Curso de Licenciatura em Química, 9º Período, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Escritor do Jornal de Química Inorgânica, projeto de extensão da UFPE. Participante do projeto ensino, pesquisa e extensão: "PRODUÇÃO DE ANTISSÉPTICOS PARA PROTEÇÃO NO COMBATE AO NOVO CORONAVÍRUS",visando o auxílio de combate a pandemia do COVID-19.

Jose Ayron Lira dos Anjos, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Caruaru, Pernambuco, Brasil.

Docente da Universidade Federal de Pernambuco.

Anna Carollinny da Silva, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Caruaru, Pernambuco, Brasil.

Discente do curso de Química - Licenciatura da UFPE.

Maurício Mateus da Silva Tavares, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Caruaru, Pernambuco, Brasil.

Discente do curso de Química - Licenciatura da UFPE.

Arthur Cristopher de Souza, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Caruaru, Pernambuco, Brasil.

Discente do curso de Química - Licenciatura da UFPE.

Referências

Bittencourt, João R., & Giraffa, Lucia M. (2003, November). Modelando ambientes de aprendizagem virtuais utilizando role-playing games. In Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação-SBIE) (Vol. 1, No. 1, pp. 683-692). Disponível em: http://www.nce.ufrj.br/sbie2003/publicacoes/paper71.pdf. Acesso em 03 abr. 2020.

Cabalero, Sueli X., & Matta, Alfredo E. R. (2015). O jogo RPG visto como uma comunidade de aprendizagem.

Cabrera, Waldirléia B., & Salvi, Rosana. (2005). A ludicidade no Ensino Médio: Aspirações de Pesquisa numa perspectiva construtivista. In Encontro nacional de pesquisa em educação em ciências, 5, 01-11. Recuperado em 02 abril, 2020, de http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/venpec/conteudo/artigos/1/pdf/p65.pdf.

Campos, Luciana M. L., Bortoloto, Tânia M., & Felício, A. K. C. (2003). A PRODUÇÀO DE JOGOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA: UMAPROPOSTA PARA FAVORECER A APRENDIZAGEM. Caderno dos núcleos de pesquisa, 47-60. Recuperado em 31 março, 2020, de http://unesp.br/prograd/PDFNE2002/aproducaodejogos.pdf.

Cavalcanti, Eduardo L. D., & Soares, Márlon H. F. B. (2005). Utilização do RPG no Ensino de Química. In Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão da UFG-CONPEEX (Vol. 2). Recuperado em 04 abril, 2020, de https://projetos.extras.ufg.br/conpeex/2005/porta_arquivos/posgraduacao/EDUARDOLUIZDIASCAVALCANTI_Utilza%C3%A7%C3%A3odoRPGemEnsinodeQu%C3%ADmica_1894.pdf.

Cleophas, Maria das G., Cavalcanti, Eduardo L. D., & Soares, M. H. F. B. (2018). Afinal de contas, é jogo educativo, didático ou pedagógico no ensino de Química/Ciências? Colocando os pingos nos “is”. In M. das G., Cleophas, & M. H. F. B. Soares (Org.), Didatização Lúdica no Ensino de Química/Ciências (pp. 33–62). São Paulo, SP: Livraria da Física.

Cunha, Marcia B. (2012). Jogos no ensino de química: considerações teóricas para sua utilização em sala de aula. Química Nova na Escola, São Paulo, [s. L.], 34(2), 92-98.

Garcez, Edna S. C., & Soares, Márlon H. F. B. (2017, abril). Um Estudo do Estado da Arte Sobre a Utilização do Lúdico em Ensino de Química. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 17(1), 183-214.

Huizinga, Johan. (2004). Homo ludens. Sa?o Paulo, SP: Editora Perspectiva.

Marcatto, Alfeu. (1996). Saindo do Quadro: Uma Metodologia Educacional Lúdica e Participativa baseada no Role Playing Game. São Paulo: Exatas Comunicação e Serviços S/C LTDA.

Melatti, G. C. (2018). O RPG eletrônico: uma atividade lúdica voltada para o ensino de cinética química no ensino médio. 2018. Dissertação de Mestrado. Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil. Recuperado em 27 de março, 2020, de http://repositorio.utfpr.edu.br:8080/jspui/bitstream/1/3753/1/CT_PPGFCET_M_Melatti%2C%20Giovana%20Caraballo_2018.

Messeder Neto, Hélio S. (2016). Alvos em Busca de Flechas: Possíveis Caminhos para Serem Trilhados na Pesquisa do Lúdico no Ensino de Química. Revista Debates em Ensino de Química, 2(2 ESP), 86-92.

Messeder Neto, H.S., & Moradillo, E.F. de (2016). O Lúdico no Ensino de Química: Considerações a partir da Psicologia Histórico-Cultural. Química Nova na Escola, 38(4),360-368.

Messeder Neto, Hélio S., & Moradillo, Edilson F. de (2018). O jogo no ensino de química e a interação entre os pares: revisitando o conceito de zona de desenvolvimento iminente (ZDI). Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 17(3), 664-685.

Möhler, Luan, Schmitz, Edinéia P.S., Palma, Denise P., & Peres, Gisele L. (2018). Jogos como ferramenta de Ensino-Aprendizagem: RPG como atividade lúdica no ensino de Química e Ciências. In Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia, 6. Recuperado em 10 novembro, 2020, de http://www.sinect.com.br/2018/down.php?id=4098&q=1.

Nóvak, Melina, & Souza, Carlos E.P.. Produção e Aplicação de Jogos Didáticos Para a Aprendizagem de Conteúdos Sobre o Corpo Humano, 1-20. Recuperado em 01 agosto, 2018, de http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/340-4.pdf.

Santana, Eliana M., & Rezende, Daisy B. (2008). O Uso de Jogos no ensino e aprendizagem de Química: Uma visão dos alunos do 9º ano do ensino fundamental. In Encontro Nacional de Ensino de Química, 14. Recuperado em 20 abril, 2020, de http://www.cienciamao.usp.br/dados/eneq/_ousodejogosnoensinoeapre.trabalho.pdf.

Simões Neto, José E., Silva, Rafael B. da, Alves, Cláudia T. da Silva, & Silva, Joseane D. C. S. da (2016). Elaboração e validação de jogos didáticos propostos por estudantes do Ensino Médio. Revista Debates em Ensino de Química, 2(2 ESP), 47-54.

Soares, Márlon H. F. B. (2016). Jogos e Atividades Lúdicas no Ensino de Química: uma discussão teórica necessária para novos avanços. Revista debates em Ensino de Química, 2(2), 5-13.

Valério, Alexandre S. S. (2012). ENSINO E IMAGINAÇÃO: O USO DO RPG COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE HISTÓRIA. In JORNADA DE DIDÁTICA - O ENSINO COMO FOCO; I FÓRUM DE PROFESSORES DE DIDÁTICA DO ESTADO DO PARANÁ, 1, 178-188.

Vigotski, Lev S. (1988). A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes.

Vigotski, Lev S. (2009). Imaginação e criação na infância. São Paulo: Editora Ática.

Downloads

Publicado

2021-08-07

Como Citar

Raimundo, L. H., Anjos, J. A. L. dos, Silva, A. C. da, Tavares, M. M. da S., & Souza, A. C. de. (2021). Survival of the kingdoms: uma proposta de jogo teatral para o ensino de Química. Revista Debates Em Ensino De Química, 7(1), 236–261. Recuperado de http://journals.ufrpe.br/index.php/REDEQUIM/article/view/3545

Edição

Seção

Debates em Ensino e Aprendizagem da Química

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)